Domingo, 26 de Março de 2017 |

Você Lembra?

Por César Freitas

1224 - Telo

Por Redação em 23 de Setembro de 2015


Telo, o nosso entrevistado nesta semana, foi um dos mais habilidosos meias direitas do futebol do nosso interior, na época em que atuou. Quando jovem sofreu um acidente que lhe tirou parte de um braço. A deficiência física não foi motivo para Telo desistir de seu intento de continuar jogando futebol. O seu nome completo é Eleutério Agnoletto, sendo gaúcho de Encantado, onde nasceu no dia vinte e um de fevereiro de 1952. Iniciou suas atividades esportivas nas divisões inferiores do Encantado de sua cidade natal.A seguir foi para a Associação Lajeado que jogava com Chicão; Cau, Tadeu Xavier, Antônio Carlos e Brito; Milinha, Telo e Juarez; Carlitos, Maneca e Luiz Carlos. Posteriormente defendeu o São Luiz de Ijui, Gaucho de Passo Fundo e 1976 estava no Santo Ângelo que atuava com Macana; Edmar, Bergula, Argeu e Miraglia; Djair, Telo e Pingo; Valim, João Carlos e Branco. No ano seguinte a equipe missioneira ia a campo com Nilton; Argeu, Souza, Mauro Freitas e Edmar; Nilton, Telo e Pingo; Everton, João Carlos e Branco. Posteriormente defendeu o Fortes e Livres de Muçum e o Joaçaba. Os melhores técnicos que Telo teve foram Ernesto Guedes,Juarez Vilela, Santarém e Torres. Os volantes que melhor lhe marcaram foram Raul Matte, Luiz Carlos, Valdo, Raquete e Roberto Fensterseiffer. O seu gol inesquecível foi consignado no jogo Joaçaba X Criciúma quando marcou três gols, sendo que num deixou dois zagueiros adversários sentados.O seu ídolo nos gramados Foi Paulo César Carpegiani. Hoje Telo é formado em Arquitetura. Ele reside em Caxias do Sul onde exerce suas atividades como arquiteto. Assim, resgatamos a história futebolística de Eleutério Agnoletto, o Telo que inegavelmente foi um vencedor dentro e foram dos gramados.

COMENTÁRIOS ()