Terça-Feira, 27 de Junho de 2017 |

Você Lembra?

Por César Freitas

1242- PAULO DA PINTA

Por Redação em 25 de Novembro de 2015


Paulo da Pinta, o nosso entrevistado nesta edição, foi mais um polivalente que atuou em nosso futebol. Atuou em todas as posições da defesa de uma equipe. O seu nome completo é Paulo Sérgio Ladeira de Castro, sendo mineiro de Pouso Alegre, onde nasceu no dia dezesseis de fevereiro de 1964. Iniciou suas atividades esportivas nas divisões inferiores da Portuguesa de Desportos.Posteriormente defendeu o Pouso Alegre de sua cidade natal e Esportivo de Várzea, também cidade mineira. Em 1990 foi contratado pelo Cruzeiro que jogava com Paulo César; Ba lu, Paulo da Pinta, Gilmar Francisco e Eduardo; Ademir Keffer, Paulo Isidoro e Luiz Fernando; Heider, Luiz Gustavo e Ramon. Em 1991 foi para a Inter de Limeira . Em 1992 defendeu o Criciuma que em 1993 atuava com Almir; Sandro, Vilmar, Nenê e Omar; Silvio, Paulo da Pinta e Everaldo; Dauri, Soares e Jairo Lenzi. Em 1996 o clube da “Capital do Carvão” era escalado com Roni; Gilson, Wilson, Paulo da Pinta e Eraldo; Bolé, Mabilia e Luiz Carlos Oliveira; Eliel, Toto e Paulo Henrique. Paulo da Pinta permaneceu no Criciuma até 1997 e no ano seguinte veio para o nosso estado contratado pelo Santa Cruz. Em 1998 o alvi negro da cidade “Capital do Fumo” ia a campo com Guto; Ricardo, Denilson, Sanabria e Tanielson; Paulo da Pinta, Dega e Everaldo; Geovani, Nildo e Fábio Porquinho.Paulo da Pinta considera que Levir Culpi foi o melhor técnico que teve a orientá-lo. O melhor volante que viu em ação foi Falcão. O meia adversário mais dificil de ser marcado foi Souza. O seu gol inesquecível foi marcado no jogo Flamengo um Criciuma um em partida disputada no Maracanã. O seu ídolo nos gramados foi Arthur Antunes Coimbra, o Zico. O apelido Paulo da Pinta é devido a um sinal que tem no rosto desde garoto. Assim, resgatamos a história futebolística de Paulo Sérgio Ladeira de Castro, o Paulo da Pinta que inegavelmente foi mais um polivalente que marcou presença em gramados de vários estados brasileiros, de maneira especial no catarinense e gaúcho.

COMENTÁRIOS ()