Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017 |

Você Lembra?

Por César Freitas

1323- BETO CRUZ

Por Redação em 02 de Junho de 2017


Beto Cruz, o nosso entrevistado nesta edição foi um bom polivalente de nosso futebol. Jogava bem nas duas laterais e na meia cancha. O seu nome completo é José Roberto Francisco da Cruz, sendo natural de Recife-PE onde nasceu no dia trinta de dezembro de 1968. Iniciou suas atividades esportivas no Náutico, que em 1986 jogava com Rafael; Beto Cruz; João Fernandes, Roberval e Junior; Lourival, Edivaldo e Ademir Lobo; Baiano, Gallo e Torrinha. No ano seguinte o colorado pernambucano era escalado com Pimentinha; Beto Cruz, Silvio Laguna, Solis e Itá; Jairo, Derval e Gilmar Madeira: Stanei, Osmair e Paulo Sérgio. No ano seguinte foi contratado pelo Maranhão. A seguir defendeu o Ceará e Moto Clube. Em 1992 foi para o futebol mexicano defender o América. Em 1993 veio para o futebol gaúcho defender o Inter, que ia a campo com Gato Fernandez; Marcão, Wladimir, Argel e Daniel; Beto Cruz, Djair e Mazinho; Paulinho, Wagner e Zinho. A seguir retornou ao futebol mexicano contratado pelo Acapulco. Posteriormente foi para o Real Cartagena da Colômbia, Aurora da Guatemala, Icasa do Ceará para encerrar sua movimentada carreira como atleta de futebol no Botafogo da Paraiba. Beto Cruz considera que Carlos Alberto Torres, Paulo Roberto Falcão e Lula Pereira foram os melhores técnicos que teve a orientá-lo. Os melhores laterais direitos que viu em ação foram Cafu, Jorginho e Leandro. O ponteiro esquerdo que lhe deu mais trabalho para ser marcado foi Gilson Gênio. O seu gol inesquecível foi marcado no jogo Ceará 3 X Guarani de Sobral 0. Os seus ídolos nos gramados são Pelé, Zico, Falcão e Ronaldo Nazário. Hoje Beto Cruz reside na cidade cearense de Tauá. Ele possui um projeto de futebol em Jaboatão-PE e agencia jogadores para uma empresa de São Paulo. Assim, resgatamos a história futebolística de José Roberto Francisco da Cruz, o Beto Cruz, que inegavelmente foi um polivalente que marcou presença em vários gramados brasileiros e americanos.

COMENTÁRIOS ()