Sábado, 16 de Dezembro de 2017 |

Você Lembra?

Por César Freitas

1331 - CHIQUINHO

Por Redação em 28 de Julho de 2017


Quando surgiu na lateral esquerda do Inter, Chiquinho, o nosso entrevistado nesta edição, se revelou ser um virtuose da bola. Com um apoio muito qualificado e uma técnica no trato da bola muito apurada, Chiquinho logo caiu no gosto da torcida colorada. Lamentavelmente foi vitimado por uma grave moléstia e assim teve que truncar a sua carreira que se desenhava muito auspiciosa. Retornou aos gramados algum tempo depois, já recuperado da moléstia que o atingiu, porém sem com o brilho anterior. O seu nome completo é Paulo Francisco da Silva Paz, sendo natural de Canguçu, onde nasceu no dia vinte de junho de 1983. Iniciou suas atividades profissionais no Inter em 2001. No ano seguinte o Inter jogava com Clemer; Cris, Ameli e Ronaldo; Claiton, Alexandre, Marcelo, Fabiano Costa e Chiquinho; Fabio Pinto e Leandrão.

Em 2003 os colorados iam a campo com Clemer; Michel, Luiz Alberto, André Cruz e Chiquinho; Sangaletti, Daniel Carvalho e Cleiton Xavier; Jeferson Feijão, Nilmar e Leandrão. Após a parada que foi forçado a fazer devido ao tratamento que se submeteu, retornou em 2006 atuando no Palmeiras que era escalado com Marcos; Dininho, Nem a Alceu; Paulo Baier, Francis, Wender, Juninho Paulista e Chiquinho; Edmundo e Enilton.

No ano seguinte foi contratado pelo Goiás que atuava com Harley; André Leones, Paulo Henrique e Paulo Baier; Cleber Gaúcho, Diego e Chiquinho; Arison, Fabricio Carvalho e Felipe. A seguir iniciou uma grande peregrinação por vários clubes como Fortaleza, Joinville, River Plate do Uruguai, São José de Porto Alegre, Brasil de Pelotas, Vitória, Paulista de Jundiaí, América de Natal- RN para encerrar sua movimentada carreira como atleta de futebol no Cruzeiro de Cachoeirinha, que jogava com Andrey; Rodrigo Hefner, Carlão, Vladimir e Tawan; André Ribeiro, Reinaldo, Vinicius e Chiquinho; Caion. Chiquinho Considera que Lisca, Mano Menezes, Murici, Tite e Abel Braga foram os melhores técnicos que o orientaram. Os melhores laterais esquerdos que viu em ação foram Sorin e Marcelo do Real Madrid. Os ponteiros direitos que lhe deram mais trabalho foram um argentino que jogou no Botafogo e Marques do Atlético Mineiro.

O seu gol inesquecível foi marcado no Grenal da Copa Sul Americana. O seu ídolo nos gramados é Arthur Antunes Coimbra, o Zico. Hoje Chiquinho reside em Porto Alegre onde exerce as atividades de Agenciador de Jogadores e Missionário Transcultura. Assim, resgatamos a história esportiva de Paulo Francisco da Silva Paz, o Chiquinho que inegavelmente foi um virtuose da bola.

COMENTÁRIOS ()