Sexta-Feira, 07 de Agosto de 2020 |

Você Lembra?

1378 – PROCÓPIO

Por Redação em 06 de Julho de 2018

(Foto: Divulgação)


No nosso futebol temos e tivemos zagueiros clássicos que esbanjaram categoria no trato da bola, sem se descuidar da parte defensiva. Como exemplo menciono Airton Ferreira da Silva, que jogou no Grêmio, Mauro Galvão, Gamarra, Calvet ,Luizinho, Marinho Peres, Figueroa e Procópio, o nosso entrevistado nesta edição, entre muitos outros. O seu nome completo é Procópio Cardoso Neto, sendo mineiro natural da cidade de Salinas, onde nasceu no dia vinte e um de março de 1939. Iniciou suas atividades esportivas no Cruzeiro da capital mineira no ano de 1959. Em 1967 os estrelados jogavam com Raul; Pedro Paulo, Gelton, Procópio e Neco; Hilton Chaves, Evaldo e Dirceu Lopes; Natal, Tostão e Davi. Em 1968 teve uma rápida passagem pelo Palmeiras. No ano seguinte foi para o futebol carioca defender o Fluminense, que ia a campo com Castilhos; Carlos Alberto Torres, Procópio, Dari e Altair; Oldair e Joaquinzinho; Manoel, Edinho, Valdo e Escurinho. Em 1970 retornou ao futebol mineiro contratado pelo Atlético e em 1973 retornou ao Cruzeiro que era escalado com Hélio; Nelinho, Perfumo, Procópio e Vanderlei; Wilson Piazza , Zé Carlos e Dirceu Lopes; Eduardo, Rinaldo e Lima. No ano seguinte o Cruzeiro atuava com Vitor; Nelinho, Perfumo, Procópio e Vanderlei; Zé Carlos e Dirceu Lopes; Evaldo, Cândido, Palhinha e Lima. Procópio considera que Filpo Nunes e Antoninho Fernandes foram os melhores técnicos que o orientaram. Os melhores zagueiros que viu em ação foram Roberto Perfumo, Airton Ferreira da Silva, Djalma Dias e William. Os atacantes que lhe deram mais trabalho para serem marcados foram Pelé, Di Stéfano, Tostão, Reinaldo, Lima, Roberto Dinamite, Alcindo, Servilho, Paulo Valentim, Eusébio e Dario. Os seus gols inesquecíveis foram marcados num clássico Fla X Flu no Maracanã e no Mineirão num jogo do Atlético, quando um torcedor veio a falecer de emoção. O seu ídolo nos gramados é Lionel Messi. Procópio defendeu a Seleção Brasileira em dez oportunidades. Na vitória brasileira contra a Argentina por 3X2 em jogo realizado no dia onze de agosto de 1968 a nossa representação formou com Raul; Pedro Paulo, Djalma Dias, Procópio e Oldair; Zé Carlos e Dirceu Lopes; Natal, Evaldo, Tostão e Rodrigues. Depois de deixar os gramados, Procópio passou para a casamata, onde dirigiu clubes importantes com grandes conquistas. Hoje Procópio reside em Belo Horizonte, onde aposentado tem o prazer de assistir as atuações de Lionel Messi, Roger Federer e Lebron James. Assim, resgatamos a história futebolística de Procópio Cardoso Neto, o Procópio, que brilhou no futebol brasileiro nos gramados e nas casamatas.

COMENTÁRIOS ()