Sbado, 25 de Setembro de 2021 |

Colunista



A morte de Miguel

Yasmin Vaz dos Santos deu remédios para seu filho Miguel dos Santos Rodrigues, de 7 anos, na madrugada de 28 de julho e depois que o menino ficou desacordado, colocou dentro de uma mala, saiu pelas ruas de Imbé e jogou o corpo no Rio Tramandaí.

No dia seguinte foi à delegacia, juntamente com sua companheira Bruna Nathieli Porto da Rosa, onde registrou o desaparecimento de Miguel, dizendo que ele estava sumido há dois dias, porém entrou em contradições, levantando a suspeita da polícia.

Após ser interrogada, acabou admitindo o crime, dando as informações necessárias para que se iniciassem as buscas, visando encontrar o corpo de Miguel, conforme os dados fornecidos por Yasmin, que alega ter jogado o menino no rio Tramandaí.

As investigações levantaram indícios de que Yasmin e sua companheira Bruna aplicavam tortura física e psicológica em Miguel, pois o menino não saía de casa, onde permanecia trancado num cômodo da casa, amarrado dentro de um roupeiro.

Yasmin, Bruna e Miguel moravam, desde maio deste ano, em Imbé e, anteriormente, viviam em Parai. Nas duas cidades Miguel foi matriculado em escolas, ficando em aulas remotas, tendo Yasmin mantido a entrega regular dos trabalhos nas instituições.

Os celulares das duas mulheres foram recolhidos, sendo encontrados vídeos e áudios que comprovam a prática dos crimes de maus tratos e violência psicológica, com ameaças contra Miguel, sendo decretada a prisão preventiva de ambas, devido à gravidade dos crimes.

A avó materna de Miguel solicitou a guarda em 08 de junho, porém Yasmin somente entregou a documentação, necessária para o andamento do processo, no dia anterior à morte do menino, com alegações de que Miguel atrapalhava sua vida.

As atitudes de Yasmin são extremamente frias, já que jogou seu filho no rio, sem demonstrar nenhuma tristeza, segundo informado pelas autoridades, numa demonstração de clara psicopatia, impondo a Miguel uma vida de sofrimento físico e psicológico, que culminou com sua morte nas águas geladas do rio Tramandaí.

COMENTÁRIOS ()