Segunda-Feira, 18 de Outubro de 2021 |

Colunista



Postes e redes

Nossas ruas estão repletas de postes, dos mais diversos tipos e modelos, sendo a maioria de propriedade da Equatorial - CEEE, com a finalidade de levar energia elétrica para todos os pontos das cidades, porém sendo utilizados, também, por empresas de telefonia.

A confusão de fios é enorme, pois ao longo dos anos, foram sendo colocadas fiações para o serviço de telefonia fixa, depois vieram os cabos para a internet, ultimamente, o sistema por fibra ótica.

Alguns tipos de fiação já nem são mais utilizados pelas empresas de telefonia e de internet, mas quando substituídos por sistemas mais modernos, não foram retirados dos postes, causando um complexo emaranhado de fios.

Não podemos esquecer das diversas instalações clandestinas, que levam energia gratuita e ilegal para tantas residências, com enorme risco para toda a rede elétrica, com muita sobrecarga, podendo causar acidentes e colapso do sistema.

A responsabilidade pela retirada dos fios de telefonia obsoletos é das empresas, sendo que muitas já nem existem mais, inclusive a própria estatal responsável pelos postes foi privatizada, surgindo uma nova maneira de administrar os equipamentos.

O modelo de cabos elétricos aéreos, fixados em postes, além da questão estética, envolve um problema de estrutura inadequada para utilização de fios de telefonia e internet, os quais deveriam possuir uma rede separada da elétrica.

A Equatorial-CEEE anunciou que notificará as empresas de telefonia para retirar as fiações desligadas, caso não façam, restarão nos postes apenas os fios da rede de eletricidade, o que, se acontecer, poderá causar problemas para os usuários dos demais serviços.

A adoção de redes específicas é uma solução, que resolveria a questão estética, permitindo a separação dos serviços, com manutenção e controle de cada empresa, melhorando a qualidade do que recebemos como produto em nossas residências.

COMENTÁRIOS ()