Sbado, 04 de Dezembro de 2021 |

Colunista



108 milhões de imunizados

Não foi um caminho fácil até aqui, pois o mundo não estava preparado para a pandemia de Covid-19, que atingiu, até agora, 242 milhões de pessoas e já ceifou quase 5 milhões de vidas.

Houve a necessidade desenvolvimento de vacinas em tempo recorde, o que possibilitou que a britânica Margareth Kennan fosse a primeira pessoa ser imunizada no mundo, recebendo uma dose da vacina americana Pfizer em 08 de dezembro de 2020.

O processo de vacinação, no Brasil, iniciou em 17 de janeiro de 2021, quando a primeira dose da vacina Coronavac, desenvolvida no país pelo Instituto Butantan, foi aplicada na enfermeira Mônica Calazans, no Hospital de Clínicas de São Paulo.

Passados nove meses, já foram aplicadas 259 milhões de doses na população brasileira, assim chegamos a 50% dos brasileiros totalmente imunizados contra a Covid-19, portanto falta pouco para chegarmos ao patamar ideal de 70% de imunização, o que será alcançado brevemente.

O número de infectados chegou a quase 22 milhões, com uma taxa de recuperação próxima de 98%, com a queda diária do número de mortes e infecções, aliando prevenção e vacinação, estão mudando, aos poucos, a rotina do país.

Avançamos em muitos aspectos para a retomada das atividades coletivas, desde as aulas presenciais, aberturas de locais de festas e também a presença de torcidas em eventos esportivos, principalmente, nos estádios de futebol.

É preciso comemorar os 108 milhões de pessoas protegidas e esperar que não faltem as doses necessárias para atingirmos os 150 milhões de imunizados plenamente, e que tenhamos o retorno de nossa vida normal o mais breve possível.

Mas é necessário ter paciência, mantendo os cuidados mínimos, usando máscara, além do álcool gel e evitando aglomerações em locais fechados, enquanto aguardamos que os 70% de imunização sejam alcançados no Brasil.

COMENTÁRIOS ()