Quinta-Feira, 06 de Maio de 2021 |

Colunista


Política e Saúde


Darci Barth



VADE RETRO COVID

Após o colapso da saúde no RS devido a covid 19, parece que os casos estão diminuindo devagar e paulatinamente. É nossa convicção que de forma permanente, devido ao incremento da vacinação e ao esgotamento da própria moléstia. O que a gente vê em consultório é que muitos já contraíram o vírus, assim como familiares e amigos, geralmente deixando um rastro de destruição pelo caminho, com muito sofrimento e óbitos. Mas todo cuidado é pouco, a covid é uma moléstia traiçoeira, ainda mal compreendida, inclusive no meio científico. Vamos continuar os cuidados com álcool gel, uso de máscara, distanciamento social. Até quando não se sabe.

SECRETARIA DA SAÚDE E COVID

Achamos que a conduta da secretaria da saúde em relação a covid foi adequada, a vacinação foi muito bem organizada, a gente vê que o povo ficou bem satisfeito, tiravam fotos e mandavam às redes sociais. Aplausos.

DEVER DE CASA

A pandemia enfraquecendo, o prefeito Apolo e a secretária da saúde tem que se concentrar novamente no resolução dos problemas crônicos de saúde no município. Vamos elencar 5 objetivos prementes a serem considerados: 1) As UBSs são a porta de entrada do SUS, o objetivo é atender até 80% dos problemas de saúde da população, sem que haja a necessidade de encaminhamento para outros serviços, como emergência e hospitais. Não é a realidade de muitas das nossas UBSs, faltam médicos, enfermeiros, dentistas e agentes de saúde. 2) O atendimento no Centro de Saúde é elogiado pela maioria, o pessoal afirma que “fomos muito bem atendidos na UPA”. Só que é na UPA NÃO 24h. Precisamos de uma UPA 24h, de modo a desafogar o hospital de Alvorada, e impedir que a população se dirija para atendimento nas UPA 24h da capital. 3) Não existe na cidade atendimento ortopédico de urgência. O que acontece. O paciente fratura um braço por exemplo. Dirige-se ao hospital Cristo Redentor, que faz o 1º atendimento, Raio-x, tala gessada, etc., encaminha ao município para continuidade do tratamento. Só que o município está encaminhando para serviço de ortopedia em Viamão. Ai fica difícil. Parece que a secretária da saúde está gestionando para resolver este problema. Seria ótimo. 4) Faltam algumas especialidades médicas, imprescindíveis para o atendimento na rede pública, que são encaminhados para Porto Alegre, tais como oftalmo, neuro, cardio ( só temos uma ), etc. 5) O hospital de Alvorada é um elo imprescindível no sistema de saúde, mas necessita de muitas melhorias. Os leitos de UTI não são adequados, não possui tomógrafo, nem estrutura para hemodiálise, está com uma CPI em andamento. O Instituto de Cardiologia não aumenta o valor do repasse há vários anos. Não vejo manifestação nenhuma do governador do estado. Necessita de solução urgente.

COMENTÁRIOS ()