Quarta-Feira, 23 de Junho de 2021 |

Colunista


Política e Saúde


Darci Barth



CLÍNICAS POPULARES I

O público das clínicas populares, tais como SOS Saúde, Salute, Central de Consultas, Mais Saúde, Dr. Saúde, Dr. Consulta, etc. etc., é formado, em grande parte, pelas parcelas de usuários insatisfeitos com as condições de atendimento do SUS e que conseguem arcar com consultas a preços mais acessíveis. A má qualidade do serviço público joga a favor destas empresas. De acordo com pesquisa do Datafolha, 93% dos usuários do SUS estão insatisfeitos com o serviço. Demora no atendimento é a queixa mais freqüente, filas, vários dias para conseguir a consulta, falta de especialistas, demora nos exames laboratoriais e nos encaminhamentos para cirurgias e procedimentos mais complexos. Na realidade, a qualidade do atendimento do SUS em determinado município pode ser mensurado pela quantidade de clínicas populares.

CLÍNICAS POPULARES II

O quadro nacional de desemprego no país também contribui bastante para a proliferação das clínicas. Os trabalhadores desempregados enfrentam um dilema, perderam seu plano de saúde, não conseguem atendimento no SUS. Aí entram com força as clínicas populares. Baixo custo, pagamento parcelado no cartão de crédito e ampla agenda de especialistas são algumas das vantagens.

CLÍNICAS POPULARES III

Uma questão que preocupa é a resolutividade do atendimento. Muitas consultas no SUS são de pacientes que consultaram nas clínicas populares, solicitam a transcrição de exames, ou encaminhamento para cirurgias. Quer dizer, não conseguiram consulta no SUS, usam as clínicas populares, depois retornam ao SUS, pois não resolveram o problema.

PENSAMENTO DA SEMANA I

“Em política, os aliados de hoje são os inimigos de amanhã.” - Nicolau Maquiavel

PENSAMENTO DA SEMANA II

“A tristeza quando vier, temos que superar; quando chegar, tem que mandar embora.” - Ratinho

BASE DO GOVERNO NA CÂMARA DE VEREADORES

O prefeito Appolo está com a bola toda. Somente 5 vereadores estão na oposição, quais sejam, Leandro Tur e Giovana do PT, Celmir Marcello e Daniel Bordin do DEM, e o vereador Cristiano Oliveira do PP. Os vereadores do PT e do DEM não são farinha do mesmo saco, se repelem. Dizem que o vereador do PP está negociando para entrar na base de governo. Na matemática, +2-2+0=0. Por ela, não há oposição, zero oposição. Passam todos os projetos. Cqd.

COMENTÁRIOS ()