Quarta-Feira, 23 de Junho de 2021 |

Colunista


Política e Saúde


Darci Barth



Chacina do Jacarézinho – versão Lula

"É grave uma operação policial terminar na morte de 25 pessoas. Isso não é segurança pública. É a ausência do Estado oferecendo educação e emprego a causa de boa parte da violência. Os brasileiros estão morrendo sem vacina, de fome e pela violência. Vidas brasileiras importam."

Chacina do Jacarézinho – versão Ciro Gomes

"O que aconteceu na comunidade do Jacarézinho é um Carandiru a céu aberto, uma nova Candelária. Até quando o Haiti é aqui? Até quando vamos assistir as chacinas a céu aberto, a dor no mesmo céu descoberto, a morte de pobres, de negros, de irmãos indefesos?"

Chacina do Jacarézinho – versão Bolsonaro

"Ao tratar como vítimas traficantes que roubam, matam e destroem famílias, a mídia e a esquerda os iguala ao cidadão comum, honesto, que respeita as leis e o próximo. É uma grave ofensa ao povo que há muito é refém da criminalidade. Parabéns à Polícia Civil do Rio de Janeiro."

Guerra de pesquisas

Na mesma semana, duas pesquisas sobre a sucessão presidencial apresentaram números totalmente contrários. O Instituto Paraná Pesquisas deu a vitória para Bolsonaro em relação a Lula em todos os cenários. No 2º turno, Bolsonaro venceria Lula, 47 a 33,4%. Ao contrário, O Datafolha deu a vitória para Lula também em todos cenários, no 2º turno derrotaria Bolsonaro por 55 a 32%. Em quem o povo vai acreditar? Cadê a fiscalização das pesquisas? Só no Brasil mesmo.

Seminário político do PL

O PL de Alvorada realizou seu 1º seminário político, cuja intenção era discutir os rumos do partido a partir de agora. O deputado federal Giovani Cherini, mentor maior, não compareceu, mandou representante. Causa estranheza que dos 6 candidatos a vereador mais votados, 5 não compareceram, nem seus assessores diretos. A exceção foi Rudi Guzati, atual secretário da SMAM. O PL fez 9537 votos na última eleição. Os 5 candidatos insatisfeitos somam 5076 votos, mais da metade dos votos do partido. Sobram 4461 votos. Se a eleição fosse hoje, sem os candidatos dissidentes, o PL colocaria somente 1 vereador, a pau e corda, ainda assim na sobra. Este filme aí já vi no PDT. Bota liderança nisto.

Como conduzir um partido político

A premissa básica do presidente de um partido político é direcionar os espaços no partido e prefeitura de acordo com os votos de cada um, de uma forma justa e transparente. Desta forma, o partido deve ficar unido e tender a crescer. Do contrário, se os cargos são direcionados para os parentes, puxa-sacos, ou elementos de outros partidos, a coisa tende a degringolar, a insatisfação aumenta, o resultado é imprevisível.

Pensamento da semana

"Sete pecados capitais: política sem princípios, riqueza sem trabalho, prazer sem consciência, conhecimento sem caráter, comércio sem moralidade, ciência sem humanidade e culto sem sacrifício." - Mahatma Gandhi

COMENTÁRIOS ()