Quarta-Feira, 29 de Junho de 2022 |

Colunista



DOMINGUEIRA NO 35 CTG

No próximo domingo, dia 16 de janeiro, grande domingueira no Primeiro CTG do Mundo. Na animação teremos o Grupo Rebeldia. Informações com o meu amigo Rodrigo Nunes pelo fone waths (51) 994.847.889. O 35 CTG fica na Av. Ipiranga, 3500, em Porto Alegre. Lembramos que a pandemia não acabou e os organizadores seguem os protocolos sanitários vigentes.

CTG AMARANTO PEREIRA

O CTG Amaranto Pereira, fundado em 04 de novembro de 1993, inaugurou o seu galpão de eventos no dia 07 de novembro de 1997, com um grande jantar-baile que teve a animação de Helmo de Freitas (O Carijó) e Grupo Camperiada. O tempo passou e o galpão precisa de reparos e a patronagem está trabalhando nisso e pede ajuda à comunidade na “doação de telhas de fibrocimento 244x110x5mm”. Para ajudar basta ir ou entrar em contato com a Madeireira Zanotelli e deixar a sua contribuição – fone (51) 3447.1427. Pix da Madeireira é o seu CNPJ 11.093.567.0001-76. Razão social: Zanotelli Materiais de Construção.

UM POUCO DE HISTÓRIA DAS MISSÕES JESUÍTICAS

As missões jesuíticas foram uma estratégia da Coroa Espanhola para colonizar a América !!! Os povoados seguiam o modelo urbano espanhol, composto de praça, igreja, colégio, oficinas, hospitais, hortas e moinhos ...

Eram administrados por padres da Companhia de Jesus, enquanto a maioria dos habitantes eram indígenas. Os nativos eram instruídos a abandonar seu modo de vida nômade, poligâmico e politeísta.

As missões não foram exclusivas no Rio Grande do Sul: estavam presentes em toda América Espanhola. Paraguai, Bolívia, Peru, Argentina, México, Califórnia, Florida, Texas são exemplos de locais que comportaram missões jesuíticas.

No século 17, várias missões foram fundadas no atual oeste brasileiro, território espanhol. Em 1682, foi fundada a 1º Missão no Rio Grande do Sul: São Borja. Até 1707, surgiriam outras 6 missões, São Luís Gonzaga, São Nicolau, São Miguel Arcanjo, São Lourenço Mártir, São João Batista e Santo Ângelo Custódio.

Os territórios formavam os 7 Povos da Missões, parte da Província Jesuítica do Paraguai. As comunidades constantemente entravam em conflitos com bandeirantes que raptavam indígenas para trabalho escravizado. Somado a isso, militares portugueses atacavam e reivindicavam as áreas.

Enquanto muitas missões estabeleceram um modo de vida pacífico, outras terminaram em conflitos. As comunidades não eram totalmente autossustentáveis, dependendo de outras vilas ao seu redor. Em 1750, o Tratado de Madrid reconheceu boa parte da América do Sul como território português, mas muitas missões jesuíticas não concordaram com a decisão.

Mesmo com os espanhóis retirando suas tropas, guaranis liderados por Sepé Tiaraju promoveram a Guerra Guaranítica em 1753.

O conflito resultou em mais de 20 mil indígenas mortos ao longo de 3 anos por portugueses e espanhóis. Em 1759, os jesuítas foram expulsos da América Espanhola, tornando as missões desabitadas.

Uma curiosidade, é que se acreditava que a igreja de São Miguel das Missões possuía duas torres, não uma. Essa confusão surgiu porque o plano original possuía duas torres, mas alterado para uma apenas - padrão das igrejas das missionárias. Fonte: Grupo de Divulgação de Estudos - Márcia Molina. Publicado no sítio Facebook Marcos do Pampa.

COMENTÁRIOS ()