Sbado, 04 de Dezembro de 2021 |

Evento com fogos de artifício com som gera debate devido a Lei sancionada neste ano

A vereadora Oliane Santos apresentou proposta que proibia a prática no município

Por Redação em 19 de Novembro de 2021

"Evento com fogos de artifício com som gera debate devido a Lei sancionada neste ano" (Foto: Guilherme Wunder)


Na noite de domingo, 14/11, foi promovido um evento particular na Praça João Goulart, no centro do município. A atividade de cunho religioso foi organizada, segundo a Prefeitura de Alvorada, pela mãe Michelly e tinha o nome de ‘Quimbanda da 48’. Como de praxe, houve o pedido de reserva do espaço público para a administração municipal, que foi concedido assim como acontecem em outras atividades da cidade.

Contudo, uma ação em especial chamou a atenção: em determinado momento da noite houve um show de fogos de artifício. O problema é que Alvorada conta com uma Lei sancionada em julho deste ano que trata sobre o assunto. A Lei Nº 3.554/2021, de autoria da vereadora Oliane Santos (Cidadania) proíbe a utilização, queima e soltura de fogos de estampidos e de artifícios, assim como quaisquer artefatos com efeito sonoro.

Na noite de domingo, 14/11, várias pessoas comentaram nas redes sociais sobre a quantidade de fogos de artifício. A própria vereadora que propôs a lei e reside próximo a Praça João Goulart postou um relato em suas redes sociais. Abalada pelo ocorrido, a parlamentar desabafou sobre ter uma lei municipal que foi aprovada e sancionada não ser respeitada na cidade.

Além disso, ela afirmou que sua mãe passou mal com os barulhos e que um de seus animais acabou se machucando devido aos sustos que teve devido aos fogos. “As pessoas não têm um pingo de consideração. A minha mãe ficou trancada no banheiro e com medo. A minha cadela é idosa ficou internada. O que adianta fazer uma lei se as pessoas não respeitam”, postou em suas redes sociais.

Na sessão de terça-feira, 16/11, a vereadora convocou representantes da causa animal para irem até a Câmara onde iria se pronunciar e cobrar o respeito da legislação. Em sua fala, Oliane afirmou que não é contra nenhuma religião e que a festa estava regularizada e autorizada pela Prefeitura. Contudo, ela repudiou o fato das pessoas terem utilizado fogos de artifício quando existe uma legislação que proíbe a prática.

Além disso, a parlamentar falou sobre a importância de que as propostas aprovadas e sancionadas sejam respeitadas e cobradas. “A minha revolta é por conta do projeto. Nós estamos aqui para fazer leis que favoreçam o povo e não estamos sendo respeitados. A gente tem que ir atrás dos órgãos públicos para que as nossas leis sejam aplicadas, pois não fazemos isso ao vento”, finaliza Oliane.

O parecer dos demais

A reportagem do Jornal A Semana tentou contato com os organizadores do evento desde quarta-feira, 17/11, mas não obteve nenhum posicionamento até o fechamento desta edição. Já a Prefeitura afirmou que, por tratar-se de uma nova lei, vai ser passada por uma reforma administrativa a fim de determinar qual órgão da Prefeitura será o responsável pela fiscalização.

COMENTÁRIOS ( )