Sbado, 23 de Outubro de 2021 |

Alvoroço Filmes encerra as filmagens do seu sétimo longa-metragem, chamado ‘O cara que não aglomerava’

O fim das gravações ficou marcado pela participação do ator Jairo Mattos, que retornou ao município para o projeto

Por Redação em 08 de Outubro de 2021

"As filmagens da última cena ocorreram no Parque Lagoa do Cocão" (Foto: Guilherme Wunder)


Na tarde de segunda-feira, 04/10, no Parque Lagoa do Cocão, ocorreu a última diária de filmagens do filme ‘O cara que não aglomerava’. Com isso, foram encerradas as gravações do projeto financiado pela Lei Aldir Blanc. A ideia agora é trabalhar na finalização do longa-metragem para poder fazer o lançamento oficial ainda neste ano – a previsão é para o início de dezembro.

Em entrevista, o cineasta Evandro Berlesi explica que esse foi um de seus filmes mais tranquilos de produzir. Isso devido ao número menor de locações e de participações especiais. “Este filme é diferente de tudo que já fizemos, não é um drama pesado como ‘Cidade dormitório’ e nem uma comédia para morrer de rir como ‘Algo de errado não está certo’. É uma comédia dramática”, salienta o diretor e roteirista.

Além disso, devido aos recursos conquistados junto a Lei Aldir Blanc, esse será um dos filmes com melhor qualidade de produção devido ao investimento feito. “Um ponto interessante, que este é o nosso primeiro filme produzido em 4k, com uma boa câmera e um equipamento de captação de áudio, melhor. Portanto na questão técnica será nosso melhor trabalho”, enfatiza Berlesi.

No momento o filme está em fase de finalização com o colorista Vitor Liesenfeld e, depois de inserir a trilha sonora composta pelo músico Felipe Chagas, vai para finalização de áudio com o J. A. Phoenix. A exibição de lançamento ocorrerá dia 03 de dezembro na sede da Associação Comercial e Industrial de Alvorada (ACIAL). No momento, a Alvoroço Filmes está buscando apoios para a realização deste evento.

Participação especial

O ator alvoradense Jairo Mattos, que recentemente participou da novela ‘Gênesis’, foi uma das participações especiais deste projeto. Essa é a terceira vez que o artista participa de um projeto da Alvoroço Filmes. Para Berlesi foi uma honra poder dirigir o ator, pois ele sempre foi uma inspiração – um alvoradense ganhando a vida com arte fora do município.

Tanto é que o cineasta ainda tem recordações ao lado do ator. “Ainda tenho guardado um autógrafo que peguei com Jairo em 1992 numa de suas visitas em Alvorada. Imagine o tamanho da minha alegria quando ele veio participar do meu primeiro filme, foi a realização de um sonho. E hoje não é diferente, gostaria que o Jairo estivesse em todas as produções”, finaliza Berlesi.

A reportagem do Jornal A Semana acompanhou as filmagens e conversou com Jairo Mattos sobre como foi voltar para Alvorada. “Eu passei em Santa Catarina e busquei meus pais para vir em Alvorada. Meu pai está em Tramandaí e vim visitar a minha irmã. Quando recebi o convite e li a cena eu rachei de rir. É muito bom gravar e poder dar um apoio. Está sendo bem divertido”, salienta Mattos.

Sinopse do filme

O filme acompanha a história de Vilnei Collares, um cineasta que tenta sobreviver fazendo filmes sem orçamento, contando apoios de comerciantes. Enquanto se esforça para salvar seu casamento, não ir preso e conquistar um prêmio no festival de cinema de Tupanciretã, Vilnei prepara-se para produzir seu polêmico longa dramático “Filhotinho de Bukowski”, com a esperança de não precisar se envolver com a política.

COMENTÁRIOS ( )