Domingo, 26 de Setembro de 2021 |

Escritor Damião Oliveira conta origem da paixão pela literatura e apresenta seus projetos para o futuro

Entre suas iniciativas está o ‘Semeando sonhos, colhendo realidades’, que deve ser aplicado em sala de aula

Por Redação em 23 de Julho de 2021

"O escritor desenvolve projetos sociais dentro de Alvorada, voltado ao incentivo à leitura e a criação literária" (Foto: Divulgação)


Damião Oliveira tem 59 anos e mora no Jardim Alvorada. Veio para o município em 1985, quando ainda era policial militar e foi transferido para trabalhar em Porto Alegre. Na época, acabou se instalando na cidade vizinha e reside aqui até hoje. Contudo, ao longo desses 36 anos, o policial ficou conhecido através de outra área: a literatura. Isso porque ele já publicou diversas obras ao longo dos anos.

Desde então, já são cinco livros publicados: ‘Pinhal em Versos’, ‘Alvorada in Love’, ‘A Jornada do Ser Binário’, ‘Eu Sou o Ser Binário’ e ‘Sou Eu – O Menino de São Gabriel’. Isso sem contar os textos que tem publicado em outras coletâneas. Em entrevista, ele conta que sua paixão pela literatura vem desde a infância. Isso através dos livros de bolso e as histórias em quadrinhos.

Segundo ele, mesmo com defasagem escolar, essa prática o ajudou no aprendizado. “Aprendi a escrever e a ler rapidinho. Os primeiros anos na escola foram ajudados pelas muitas visitas e leituras nas bibliotecas escolares. Contudo, o meu ativismo literário começou em 2014, quando participei da Feira do Livro de Porto Alegre pela Associação Gaúcha dos Escritores Independentes (AGEI)”, relata o alvoradense.

Desde então, foram diversas participações em antologias, coletâneas e concursos literários – além dos cinco livros publicados. Outro fator que esse trabalho teve foi de gerar um convite para compor a Academia de Letras do Brasil. Ele conta que o convite surgiu em 2017, após a visibilidade e boa repercussão de um projeto que participou e que foi publicado em Portugal – e distribuído em mais de 20 países.

Isso, somado ao pedido de publicar seu livro em Portugal, chamou a atenção da Academia, que o chamou para ser um novo membro. “Fazer parte da ALB é muito mais que simplesmente se tornar um acadêmico imortal reconhecido pelos pares. É muito gratificante poder ter a oportunidade de aprender com mentes brilhantes e dedicadas ao ativismo cultural literário”, afirma Oliveira.

Para o alvoradense, compor essa Academia é muito importante. Isso porque, além de poder viajar pelo Brasil com as caravanas literárias e conhecer outros escritores, esses encontros ajudam no desenvolvimento de novas metodologias de ensino e ajuda na transição entre os gêneros literários. Além disso, o escritor também foi convidado para fazer parte do Instituto de Poesia Internacional.

Ele relata que ainda não aceitou o convite e nem foi empossado, mas que se sente honrado pelo convite. “Fui analisado, assim como meu trabalho. Só sei que fui sondado e indicado para uma das mais importantes e respeitadas cadeiras do Instituto. Ainda não recebi a decisão final, que deve ocorrer neste ano, mas é claro que estou muito feliz e propenso a aceitar esta homenagem”, salienta o policial da reserva.

Para o futuro, o autor está desenvolvendo dois projetos. O primeiro é o ‘Semeando sonhos, colhendo realidades’, que deve ser colocado em prática com o retorno das aulas presenciais. Já o segundo é um livro de narrativas longas voltada para o público que gosta de reality show. A ideia é construir um manual de estudo de perfis e instruções para quem pretende se aventurar por esses programas.

Além disso, o alvoradense segue desenvolvendo projetos de incentivo à leitura e a criação literária em Alvorada. No projeto que deve ser colocado em prática no retorno das atividades presenciais, são distribuídos livros para escolas ou grupos organizados que aceitam o projeto. Quem tiver interesse em saber mais pode contatar o escritor pelo telefone (051) 99140-8989 ou pelo e-mail [email protected]

COMENTÁRIOS ( )