Sexta-Feira, 18 de Junho de 2021 |

Filmes d’A Semana

Crítica de Mulheres Alteradas

Por Redação em 04 de Junho de 2021

"Filmes d’A Semana" (Foto: Divulgação)


A gente sabe que a pandemia segue e, por causa disso, as críticas de cinema aqui do Jornal A Semana não podem parar. Sabemos que é preciso boas opções de lazer em casa para que as pessoas fiquem em casa e, pensando nisso, o colunista que vos escreve traz o longa-metragem brasileiro ‘Mulheres Alteradas’, que está disponível nas mais variadas plataformas de streaming.

A produção conta o cotidiano de quatro mulheres, cada uma enfrentando seus problemas: Keka enfrenta uma crise no casamento com Dudu, Marinati é uma workaholic que repentinamente se apaixona por Christian, Leandra sente-se bastante insegura pelo fato de ainda não ter constituído família e Sônia está cansada da rotina doméstica e sonha com a época em que era solteira.

Para quem desconhece, o filme é baseado em uma história em quadrinho argentina, que inclusive já foi publicada pela Editora Rocco aqui no Brasil. Ainda não tive a oportunidade de adquirir e ler esta publicação, mas assistir ao longa-metragem dirigido por Luís Pinheiro me instigou a procurar esta obra argentina para poder conhecer mais sobre as quatro personagens.

‘Mulheres Alteradas’ tem seus defeitos e abusa de alguns clichês e construções óbvias e inverossímeis durante algumas cenas do filme. Entretanto, pela primeira vez, isso não me incomodou tanto quanto costuma acontecer. Obviamente que a experiência de alguns pode ser prejudicada, mas foi surpreendente ver histórias que quebram paradigmas importantes.

No filme vemos mulheres independentes, livres sexualmente, a maternidade sem todo o romance e o casamento fadado ao fracasso. Obviamente que falta profundidade, mas ‘Mulheres Alteradas’ entrega algo superior ao que estamos acostumados a assistir nas produções nacionais. Que venham mais filmes com essas temáticas e que eles sejam mais aprofundados também.

Estreias da semana

Aqueles que me Desejam a Morte: Connor é um menino de 12 anos que presencia o assassinato dos pais. Ele, então, precisa escapar dos assassinos que começam a caça-lo incessantemente. Ele encontra proteção com Hannah Faber (Angelina Jolie), uma bombeira traumatizada pelo fracasso de sua última missão. Os dois vão precisar lutar muito para sobreviver.

Cruella: O filme mostra a história da jovem vigarista Estella. Inteligente, criativa e determinada a fazer um nome para si através de seus designs, ela acaba chamando a atenção da Baronesa Von Hellman, uma lenda que é devastadoramente chique e assustadora. Entretanto, o relacionamento delas desencadeia um curso de eventos e revelações que farão com que Estella abrace seu lado rebelde e se torne a Cruella.

COMENTÁRIOS ( )