Sbado, 23 de Outubro de 2021 |

Filmes d’A Semana

Crítica de O Guia da Família Perfeita

Por Redação em 08 de Outubro de 2021

"Filmes d’A Semana" (Foto: Divulgação)


De tempos em tempos a Netflix – principal serviço de streaming do Brasil – nos sugere produções pouco comerciais ou famosas, mas com potencial. Isso acontece mais frequentemente com as séries (‘Round 6’ e ‘La Casa de Papel’), mas os filmes também podem surpreender. Pelo menos foi isso que senti ao assistir ao filme canadense que está disponível neste segundo semestre.

No longa-metragem ‘O Guia da Família Perfeita’, um casal no Quebec lida com as armadilhas, as pressões e altas expectativas de criar os filhos em uma sociedade obcecada pelo sucesso e pelas imagens nas redes sociais. O filme é estrelado por Emilie Bierre, Holden Wong e Louise Portal; e chegou no Brasil através do serviço de streaming da Netflix em meados de julho.

Cabe aqui ressaltar que este não é um blockbuster ou um filme comercial. Ele é uma produção mais intimista e que visa questionar e levantar debates sobre a sociedade em que vivemos e em como queremos ser vistos. Isso ainda mais com as redes sociais tão presentes na nossa vida. Isso inclusive é retratado no longa-metragem em mais de um momento e sobre a ótica da mãe da família.

É muito louco parar e pensar nesse filme não como uma obra de cinema, mas sim como um retrato da sociedade. Todos nós conhecemos aquela família que parecia ser perfeita, mas que sabemos ser cheia de problemas que são mascarados para quem vê de fora. Isso infelizmente acontece e é esse o mote do filme: deixar explicito que a vida não é só mil maravilhas sempre.

E essa é a realidade de praticamente todos da família. Todos querem manter uma imagem para os seus próximos, mas são humanos com falhas. A jovem com a pressão que sofre e os negócios que administra, o pai com a carreira de sucesso e as cobranças pelo melhor, a mãe que cuida de tudo e quer se expor para as amigas e a criança mimada que quer tudo do seu jeito.

São estereótipos de uma sociedade que existe muito próximo de todos. Nós mesmos, muitas vezes, acabamos vivendo situações como essas. Tudo isso mostra como é difícil ter a “família perfeita” e como esse acaba sendo um ideal utópico. Talvez esse não seja o melhor filme em aspectos técnicos, mas o debate que ele levanta é importante para os dias que vivemos hoje e vale a pena ser assistido pelas problematizações criadas.

Estreias da semana

Venom 2 – Tempo de Carnificina: Depois de um ano dos acontecimentos do primeiro filme, Eddie Brock está com problemas para se acostumar na vida com o symbiote Venom. Eddie tenta se restabelecer como jornalista ao entrevistar o assassino em série Cletus Kasady, também portando um symbiote chamado Carnage e que acaba escapando da prisão após sua execução falhada.

O Homem que Vendeu sua Pele: O filme acompanha a história de Sam Ali, um jovem e impulsivo sírio que deixou seu país, pelo Líbano, para escapar da guerra. Almejando viajar para a Europa e viver com o amor de sua vida, ele aceita ter suas costas tatuadas por um dos artistas contemporâneos mais cultuados do mundo, transformando seu próprio corpo em uma linda e prestigiosa obra de arte.

COMENTÁRIOS ( )