Sbado, 23 de Outubro de 2021 |

Filmes d'A Semana

Crítica de Paternidade

Por Redação em 24 de Setembro de 2021

"Filmes d'A Semana" (Foto: Divulgação)


Um filme em que esperava rir, mas que também me emocionou. Acho que essa é a melhor definição possível para o longa-metragem ‘Paternidade’, que está disponível no serviço de streaming da Netflix desde junho. Isso porque o excelente comediante Kevin Hart assume o protagonismo já esperado dentro da comédia, mas entrega toda a emoção necessária para os dramas vividos pela família.

Em ‘Paternidade’, após a esposa morrer no dia seguinte ao parto, Matt (Kevin Hart) imediatamente decide criar sua filha, sendo um pai absolutamente responsável. Mesmo com a tristeza de perder sua esposa, que também era sua namorada desde a época do ensino médio, ele faz um juramento para fornecer apoio completo à filha e assumir todas as responsabilidades que cabem a um pai.

Pode-se dizer que o filme é uma dramédia. Isso porque, mesmo com todo o drama que permeia a história, o tempo de comédia de Kevin Hart funciona muito bem. Apesar de ser diferente dos papéis que estamos acostumados a vê-lo, aqui temos um personagem bem-humorado em momentos legais do dia-a-dia de um pai solteiro. Isso indo de brincadeiras com a filha até a relação com os amigos e o trabalho.

A obra é dividida em dois períodos diferentes – recém-nascida e cinco anos. Isso funciona pelo dinamismo, mas as maneiras com que isso foi construído podem confundir o telespectador no início. A mudança foi brusca e não explica e a confusão pode aumentar quando tempos os flashbacks. Contudo, pelo bem da obra, a sacada foi muito boa.

Uma das coisas mais legais do filme é como funciona a relação do pai e da filha. Obviamente que isso funciona muito bem pelo talento dos dois atores, mas também pela maneira com que essa trama foi construída. Aqui temos uma relação que muitos pais sonham em construir, baseada na confiança e no bom-humor, sem ordens ou momentos tensos.

Não tem como não dizer outra coisa que não seja pedir para que assistam a ‘Paternidade’. Esse é o típico filme produzido para toda a família e que pode passar domingo de tarde na televisão aberta – algo difícil, já que é da Netflix. É uma grata surpresa para todos que confiarem que sim, Kevin Hart não só te faz rir, mas também te fará chorar.

Estreias da semana

Kate: Meticulosa e habilidosa, Kate é uma assassina perfeita que se encontra no auge de sua carreira. Mas quando uma operação para matar um membro da Yakuza não ocorre do jeito esperado e Kate é envenenada, ela tem apenas 24 horas para se vingar dos seus inimigos. Conforme seu corpo se deteriora rapidamente, a assassina forma um vínculo improvável com Ani, a filha adolescente de uma de suas vítimas anteriores.

Ritmo do Coração: Uma família com deficiência auditiva comanda um negócio de pesca. Ruby, a única pessoa da família que escuta, ajuda os familiares com a rotina. Na escola, ela se junta ao coral e acaba se envolvendo com um colega. Com o tempo, ela percebe que tem uma paixão por cantar e é encorajada a tentar entrar em uma escola de música. A jovem precisa decidir entre continuar ajudando sua família ou ir atrás de seus sonhos.

COMENTÁRIOS ( )