Sbado, 23 de Outubro de 2021 |

Repórter do Jornal A Semana faz parte do corpo de jurados do 33º Troféu HQMix

Além de jurado, o jornalista também tem um trabalho revisado que concorre ao prêmio

Por Redação em 01 de Outubro de 2021

"O jornalista foi presença constante em eventos de quadrinhos nos últimos anos" (Foto: Arquivo Pessoal)


O Troféu HQMix, considerado por muitos como o "Oscar dos quadrinhos", já tem data para acontecer: 27 de novembro. Devido à pandemia, mais uma vez a realização da cerimônia será transmitida pelas redes sociais do SESC. São 26 categorias nessa 33ª edição do evento. Alvorada está representada de duas maneiras: a exposição ‘Tchê 30 anos’ e o jurado Guilherme Wunder, que cobre o cenário desde 2013.

Além disso, sua monografia e seu artigo de especialização foram sobre o jornalismo em quadrinhos e existem publicações assinadas por ele no INTERCOM e no SBPJor. Além disso, o repórter trabalhou como revisor nas obras ‘Petrus’ – esse também indicado no prêmio –, ‘Necromorfus’, ‘Savant Sounds’ e ‘Noite de Spoiler’; em uma parceria com o quadrinista paulista Gabriel Arrais e a RQT Comics.

O repórter do Jornal A Semana falou sobre o sentimento de ser um dos jurados do HQMix. “Sou um apaixonado por histórias em quadrinhos desde a infância. Hoje podendo me ver trabalhando com revisão e sendo jurado de um prêmio desses me sinto lisonjeado. Além de ser uma vitória pessoal, também mobiliza todo o mercado que sofreu durante a pandemia”, pondera Wunder.

O 33° Troféu HQMIX divulgou a lista dos indicados das 26 categorias que agora irão para votação do júri nacional. Foram quatro meses de análise por especialistas. Os itens de Projeto Gráfico, Projeto Editorial e Projeto Especial na Pandemia são indicados por júri fechado e serão divulgados em breve. Os de trabalhos de universitários também são escolhidos por um júri fechado de especialistas e divulgados nas próximas semanas.

Troféu e homenagem

E para manter a tradição de a cada ano haver um troféu homenageando um personagem brasileiro das HQs, esse ano temos a Bruxinha Atrapalhada, da desenhista Eva Furnari. A personagem teve grande representatividade nos quadrinhos da Folhinha, durante os anos 1980 e 1990. Já Eva também é escritora e tem no currículo sete prêmios Jabuti. O artista plástico Wilson Iguti é o responsável pela criação da estatueta.

COMENTÁRIOS ( )