Sbado, 04 de Dezembro de 2021 |

Tainã Rosa lança livro em sessão de autógrafos na Feira do Livro de Porto Alegre

Atividade está marcada para o dia 13 de novembro, na Praça da Alfândega

Por Redação em 05 de Novembro de 2021

"Livro foi lançado primeiramente na Câmara de Vereadores" (Foto: Divulgação)


No dia 15 de setembro, foi lançado na Câmara de Vereadores, o livro ‘A Cor da Voz – Volume I’. Nele estão transcritas as temporadas 1 e 2 do podcast ‘A Cor da Voz’, um projeto literário, cultural e social que debate sobre epistemologias negras através de relatos orais de experiências acadêmicas e não acadêmicas de pessoas negras e indígenas.

Foram distribuídos gratuitamente cerca de 500 exemplares para as 31 escolas da Rede Pública Municipal de Alvorada e mais 5 instituições. O projeto estará sendo prestigiado na Feira do Livro de Porto Alegre com a venda de novos exemplares e sessão de autógrafos no dia 13 de novembro, às 17h30min, na Praça da Alfândega. O livro poderá ser adquirido no local.

Em suas redes sociais ela falou sobre o sentimento de estar na programação de autógrafos do evento. “É uma doideira pensar que eu sou uma das representantes de um dos meus lugares favoritos: a Feira do Livro de Porto Alegre. A primeira vez que eu a visitei tinha apenas 15 dias de vida, em 1995, sob a patronesse de Caio Fernando de Abreu”, salienta Tainã.

‘A Cor da Voz’ está em atuação desde setembro de 2020 e hoje é ouvido em 20 países. Atualmente, o podcast possui parceria com a UFRGS, possibilitando que qualquer pessoa consiga obter através desse canal uma formação gratuita, democratizada e certificada de 15 horas. A iniciativa promove uma educação antirracista por todo país atingindo pessoas entre 18 e 60 anos ou mais.

Mutação fora da programação

Apesar do retorno da Feira do Livro em Porto Alegre, nem todas as atividades vão ocorrer. Com isso, o Mutação – tradicional evento de quadrinhos promovido pelo Coletivo Alvoradense de Quadrinhos (CAQ) – não vai estar na programação deste ano. Segundo Denílson Reis, que é um dos organizadores do evento, isso ocorre porque o tamanho da Feira foi reduzido devido aos protocolos da Covid-19.

Contudo, ele afirma que existem outros fatores, como a diminuição dos repasses e a falta de investimentos na cultura. “Os últimos dois eventos do Mutação ocorreram com recursos reduzidos. Até começamos a montar o projeto para esse ano, mas fomos comunicados que não conseguiram verba para a área juvenil – onde ocorre o Mutação – apenas para a área infantil”, pondera o fanzineiro.

Para o organizador, existem receios sobre o impacto que pode haver a não-realização do evento. “Claro que ficar dois anos sem realizar o evento é ruim. As pessoas já estavam acostumadas a terem um evento de quadrinhos na feira. Corremos o risco de as pessoas esquecerem o evento e a Câmara do Livro achar que ele se tornou desnecessário”, finaliza Reis.

COMENTÁRIOS ( )