Domingo, 26 de Setembro de 2021 |

Alvoradense de 59 anos passa em processo da UFRGS após dois anos de cursinho pré-vestibular popular

Sueli Vieira estudou no ‘Motivação’ antes de ser contemplada com uma vaga em ciências sociais na universidade federal

Por Redação em 16 de Julho de 2021

"Sueli foi surpreendida quando chegou em casa e havia a faixa de bixo por ter passado no vestibular" (Foto: Divulgação)


Os cursinhos pré-vestibular são muito utilizados para quem busca uma vaga nas grandes universidades. Um destes cursinhos é o ‘Motivação’, que acontece no IFRS de Alvorada todos os anos. Diversos alvoradenses que passaram por lá conquistaram suas vagas em grandes faculdades. Contudo, existem histórias que chamam a atenção. É o caso de Sueli Vieira que, aos 59 anos, passou no vestibular da UFRGS e cursará ciências sociais.

Sueli nasceu em Lagoa Vermelha, mas com onze anos veio morar em Alvorada. Hoje reside no Bairro Germânia II e tem seis filhos e onze netos. Ela trabalha de diarista durante o dia e estudava de noite e nos finais d de semana para poder realizar o sonho de entrar na universidade. Foram diversos vestibulares prestados e provas do ENEM realizadas para poder conquistar o seu objetivo.

Em entrevista, a diarista conta que parou de estudar antes de concluir a oitava série para cuidar da família e hoje se sente realizada em ter o ensino completo e poder cursar uma faculdade. “É uma satisfação muito grande. Posso dizer que é um sonho se realizando. Todos da minha família e do cursinho ficaram muito felizes porque a gente tinha uma relação muito boa. Todos acreditavam em mim”, relata Sueli.

Ela conta que foram dois anos fazendo o cursinho popular pré-vestibular que soube através de uma sobrinha e relata as dificuldades daquele período. “Estudávamos em vários lugares, como associação de bairro e igrejas, até conseguirmos o espaço no Instituto Federal. Só vencemos graças aos professores, que se deslocam de longe e com muita garra vinham nós ajudar”, salienta a alvoradense.

Contudo, mesmo com todas as dificuldades, ela nunca desistiu do sonho de passar no vestibular e cursar uma faculdade. Foram duas tentativas pela UFRGS e diversas outras vezes pelo ENEM. Sueli afirma que não se pode desistir de sonhos como esses e que, por mais que demorasse, ela seguiria tentando. Sobre a escolha do curso, ela afirma que sempre gostou das humanas e que pretende exercer a profissão no futuro.

Na UFRGS, ela estudará ao lado de sua neta, Emily Vieira, que cursa jornalismo desde 2019. Ela conta como está sendo ver Sueli entrando na universidade. “É incrível. A minha avó sempre lutou e a gente via ela se esforçando e cansada depois do trabalho, mas sempre estudando. O meu sonho era que ela tivesse entrado junto comigo em 2019, mas veio agora”, relata a jovem.

Segundo a alvoradense, a ideia é poder ajudar sua avó a compreender como funciona essa nova etapa de sua vida. “Vai ser ótimo. Já estou falando com ela como funcionam as plataformas e como tudo funciona. Eu já sei como funciona e entendo que é difícil se encaixar. Será muito bom para ela saber como funciona e vou ajudar ela. Inclusive vou fazer umas aulas para inseri-la na UFRGS”, brinca Emily.

Por último, a diarista falou da importância de não se desistir dos seus sonhos e da importância de alternativas como os cursinhos populares para a conquista deste objetivo. “Sou negra, de baixa renda, mãe de seis filhos com onze netos. Sou diarista e consegui passar graças ao empenho e a boa vontade dos professores. Mesmo com toda precariedade eles conseguiram chegar até o final”, desabafa Sueli.

COMENTÁRIOS ( )