Sbado, 04 de Dezembro de 2021 |

Governo do Estado lança o programa ‘Avançar na Educação’ e Alvorada tem escola contemplada

Escola Gentil Viegas Cardoso foi selecionada para se tornar uma instituição padrão no Rio Grande do Sul

Por Redação em 22 de Outubro de 2021

"A Escola Gentil Viegas Cardoso fica localizada no Jardim Algarve" (Foto: Guilherme Wunder)


Melhorar a infraestrutura física e tecnológica, assegurar a recuperação da aprendizagem pós-pandemia, qualificar o ensino público gaúcho de forma mais inclusiva e equitativa e capacitar os profissionais envolvidos. Esses são os objetivos do ‘Avançar na Educação’. Lançado pelo Estado, o projeto contempla investimentos de R$ 1,2 bilhão até 2022, entre obras, tecnologia, capacitação e programas para melhorar a aprendizagem.

De acordo com o governador Eduardo Leite (PSDB), a ação é possível graças às reformas estruturais que foram feitas na gestão. A partir disso foi desenvolvido o Avançar, programa que passou a organizar todas as ações com as quais o governo pretende acelerar o crescimento econômico e incrementar a qualidade da prestação de serviços à população.

O governador e a secretária de Educação (SEDUC), Raquel Teixeira; detalharam o Avançar na Educação. O recurso de R$ 1,2 bilhão será destinado a obras de melhorias de infraestrutura física e tecnológica nas escolas da rede estadual, capacitação de profissionais e qualificação de programas como o Novo Ensino Médio, a reestruturação curricular do Ensino Médio, revisão dos cursos da Educação Profissional, entre outros.

O Avançar na Educação também pretende aprimorar os resultados obtidos por meio de indicadores de aprendizagem e dar continuidade ao Programa Aprende Mais, com foco na recuperação e aceleração do ensino. Para isso, o governo conta com a colaboração da iniciativa privada e do terceiro setor. Uma das colaboradoras é a presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna

Outra novidade do Avançar é o Agiliza RS, projeto que prevê o repasse extraordinário de R$ 228 milhões para a autonomia financeira das escolas de educação básica e profissional. Com o dinheiro em caixa, as próprias equipes diretivas das escolas poderão conduzir pequenos reparos, como troca de telhas, manutenção de rede elétrica, além de reformas em prédios.

Uma outra estratégia do programa Avançar na Educação envolve a criação das 56 chamadas “escola padrão” da rede estadual. Essas instituições receberão uma reformulação de seus espaços, adquirindo internet de alta velocidade e conectividade, salas de leitura e recursos, acessibilidade, e a padronização de espaços de convivência, como áreas esportivas, refeitórios, salas de professores, cozinha etc.

É nesse cenário que entra a Escola Gentil Viegas Cardoso. Isso porque a instituição que, segundo a diretora Marisa de Araújo, conta com 1.900 alunos e é a maior escola de Alvorada, foi contemplada pelo programa. Com esse recurso, a gestora já projeta investimentos importantes para atender reivindicações históricas da comunidade escolar.

Segundo ela, a vinda deste recurso já está mobilizando o corpo docente, que se motiva com a chegada de investimentos. “Para o educador é algo que os deixa muito feliz. Pelo menos nós teremos condições dignas de ofertar boas aulas. Será investido na quadra poliesportiva coberta, na sala de informática e na construção de um ambiente mais aprazível para a comunidade”, salienta Marisa.

Entre os investimentos que as escolas padrão devem receber está a conectividade de alta velocidade em todos os espaços, salas adaptadas para o uso de tecnologias e metodologias ativas, salas de leitura e recursos, banheiros acessíveis, refeitório e cozinha, sala de professores, acessibilidade e APPCI, fachada e paisagismo de baixa manutenção e o espaço coberto para convivência e prática de atividade física.

Além disso, deve haver um investimento no corpo docente. Isso não será nos salários, mas através de formações continuadas para os professores. “O convênio contempla pelo menos 30 computadores, investimentos para a rede de internet em toda a escola, bolsas de formações para os professores, bolsa permanência para os alunos na escola”, explica a diretora.

Uma formação deve ocorrer nos próximos dias para apresentar o programa e anunciar quando os recursos devem chegar. A expectativa é de que isso ocorra em janeiro e já influencie no próximo ano letivo. “Todas as crianças e adolescentes tem que ter as mesmas oportunidades e estruturas. Eles têm que sonhar e a escola pública precisa ofertar essas condições para os alunos”, finaliza Marisa.

COMENTÁRIOS ( )