Quarta-Feira, 12 de Maio de 2021 |

Professores do EJA divergem da decisão do governador de adiar as matrículas

Segundo a SEDUC, se acredita que esse adiamento evitará a evasão dos alunos

Por Redação em 26 de Março de 2021

"Uma das escolas que conta com a Educação de Jovens e Adultos (EJA) é a Escola Érico Veríssimo" (Foto: Arquivo A Semana)


No início do ano letivo, muitos professores e alunos foram surpreendidos com a decisão da Secretaria de Educação (SEDUC) de adiar as inscrições de novas turmas na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA) para o ano letivo de 2021. A justificativa é evitar a evasão diante da crise do coronavírus. Contudo, professores da rede estadual que lecionam no município discordam da decisão.

O parecer dos professores

Alvorada conta com pelo menos três escolas que ofertam a modalidade: João Goulart, Érico Veríssimo e Gentil Viegas Cardoso. Isso segundo informações da 28ª Coordenaria Regional de Educação (CRE). A primeira escola citada oferta o modelo para o ensino fundamental, enquanto as outras duas oferecem vagas para quem tem interesse de concluir o ensino médio.

A diretora da Escola João Goulart, Marisa Laureano, explicou que isso já ocorreu em 2020. “Isso óbvio reduz a quantidade de alunos das turmas, pois na EJA temos um fluxo contínuo de mudanças entre os alunos. Se os alunos não poderão se matricular não vão deixar a escola oficialmente. Então no papel reduz a evasão, mas é uma farsa já que vai aumentar o grupo de jovens e adultos fora da modalidade EJA”, conta a professora.

Com essas mudanças, a tendência é de que em 2021 tenham apenas duas turmas do EJA, quando antigamente eram seis. Além da mudança proposta pela SEDUC quanto as matrículas, existem outros fatores que estão interferindo na modalidade, como a proibição de alunos menores de idade, pois havia muitos com menos de 18 anos que buscavam o EJA.

Na Escola Gentil Viegas Cardoso, a professora de geografia Taiamanda Sant’Anna conta que a medida não é a melhor opção. “Será desastroso como já tem sido. Pois no semestre anterior já não houve o período de inscrições para novas matrículas como sempre acontecia. Neste semestre está sendo ofertado apenas novas vagas para EJA Ensino Médio. Já EJA Ens. Fundamental não há novas vagas”, relata a educadora.

Segundo ela, a falta de disponibilidade de novas matrículas, juntamente com o fechamento de turmas, reduziu drasticamente o número de estudantes. E ela afirma que a escola Gentil não é um caso isolado, pois isto tem ocorrido em todo o estado. Com isso, ela acredita que o governo está cortando investimentos e reduzindo a oferta, fazendo com que a evasão escolar aumente.

Tanto é que a professora acredita que essa decisão não contribui para a redução da evasão escolar e pode inclusive ter o efeito contrário. “Certamente não é a melhor solução para resolver o problema da evasão escolar. Ao contrário, afasta o aluno da escola e o desestimula a estudar, reduz a oferta de instituições de ensino e inviabiliza o acesso e direito à educação’, finaliza Taiamanda.

Nota da SEDUC

Segundo nota enviada pela SEDUC, existe o intuito de evitar um número expressivo da evasão diante das dificuldades impostas pelo coronavírus. Por isso, a ideia é dar mais tempo para que os estudantes concluam o período letivo de 2020. Devido a essa decisão, o Estado adiou as inscrições de novas turmas na modalidade de ensino de Educação para Jovens e Adultos (EJA) para o ano letivo de 2021.

As inscrições de novas turmas serão realizadas somente no mês de junho, após a realização do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA). A meta é que o maior número de alunos possível realize a prova e alcance a sua certificação na etapa de ensino desejada. Assim, estarão aptos para a realização de Enem, vestibulares, cursos técnicos e entrada no mercado de trabalho.

COMENTÁRIOS ( )