Segunda-Feira, 02 de Agosto de 2021 |

Atleta premiado e com passagem pela LNF, Ceko abre próprio negócio no município

Contudo, jogador afirma não estar aposentado e revela desejo de poder jogar futsal em Alvorada

Por Redação em 18 de Junho de 2021

"Ceko teve passagens por grandes ginásios do futsal gaúcho, brasileiro e mundial; como quando passou por Rússia e Croácia" (Foto: Divulgação)


Clayton Souza Ramires não é uma figura tão conhecida no município. Pelo menos não com esse nome. Agora, quando se fala em Ceko, o pensamento é diferente. Isso porque o jogador de futsal é reconhecido nacionalmente. Foram anos atuando fora do país e em clubes de alto nível – com direito a passagem extensa pela Liga Nacional de Futsal (LNF) pela ASSOEVA.

Contudo, o que muitos não sabem é que ele começou nos campos. “Aos meus 11 anos fui jogar no internacional aonde fiquei até meus 19 anos. Depois fui emprestado ao Caxias, no ano de 2000, aonde fui campeão gaúcho treinado por Tite, hoje treinador da seleção brasileira. Estava com minha carreira encaminhada, mas por não ter cabeça, decidi não jogar mais campo e fui jogar futsal”, relata Ceko.

O jogador conta que já são 23 anos vivendo do esporte, mas que ele tem consciência de que, se tivesse permanecido no futebol de campo, sua família teria uma condição financeira melhor. Todavia, ele agradece sempre por ter vivido do futsal. Isso porque ele acredita que todos os clubes foram muito especiais em sua carreira, onde teve a oportunidade de atuar no exterior e na LNF.

Ceko tem uma carreira vasta no futsal. Ao longo desses anos 23 anos na quadra defendeu clubes como Parobé/Águia do Vale, Ipiranga, Paulo Afonso (BA), 25 de Julho, ABC, AGLS, Kayrat (Rússia), Brodlow Split (Croácia), Foz Cataratas, AGF, União Futsal, ASSOEVA, AFF, ADCH, OMF e SERCESA Futsal. Contudo, mesmo tendo passado por grandes clubes, o atleta não encerrou sua carreira.

O atleta destaca diversos momentos de sua carreira, mas a passagem de cinco anos jogando no maior campeonato do país é o ponto alto de sua trajetória. “Acho que por onde passei todos os clubes sempre foram especiais mais sempre tem um clube que agende deixa um legado é este foi ASSOEVA por onde fiquei 4 anos jogando um futsal de alto nível que se chama Liga Nacional”, afirma o jogador.

Além disso, foram cinco anos na Europa. Entretanto, ele afirma que nada disso seria possível sem o apoio da família e sua fé. “Por traz de todas estas conquistas primeiramente agradeço a Deus e em segundo uma mulher virtuosa chamada Luciana aonde sou casado com ela a 23 anos sem ela com certeza não teria chegado a lugar nenhum. A família é a base de tudo”, relata o alvoradense.

Segundo ele, a aposentadoria não chegou e ele ainda projeta poder defender algum clube do município. “Às vezes penso em abandonar as quadras mais no mesmo tempo é complicado abandonar aqui que vivo a 23 anos. Lógico que a gente pensa em defender o clube de sua cidade mais envolve muitas coisas quem sabe um dia posso defender as cores da cidade onde nasci”, enfatiza o jogador.

Hoje o jogador tem uma quadra de futevôlei no município, que fica localizada na Rua Mário Totta, Nº 1246 – o telefone para contato é (051) 99649.2036. “A ideia não é minha, é de Deus. É um esporte que sempre pratiquei é hoje está crescendo muito. A experiência está sendo muito boa porque hoje tenho vários amigos que vêm jogar é não tem preço estas amizades”, finaliza Ceko.

COMENTÁRIOS ( )