Quinta-Feira, 19 de Maio de 2022 |

A prática de exercícios físicos nas academias e praças durante o intenso verão de janeiro

Segundo nutricionistas e educadores físicos, é necessário tomar alguns cuidados nesse período do ano

Por Redação em 28 de Janeiro de 2022

"As academias de saúde e parques públicos se tornaram locais comuns para a prática de exercícios físicos" (Foto: Guilherme Wunder)


O verão é conhecido como o mês da praia, mas também da retomada dos exercícios físicos que foram abandonados no inverno. Se nos períodos frios e chuvosos as pessoas não querem sair de casa, nos meses mais quentes opções ao ar livre ganham força e adeptos. Contudo, em períodos como esses, é necessário tomar alguns cuidados para o bem-estar e para a saúde.

O parecer de quem utiliza esses espaços

Na Praça Portela Delavi são muitas pessoas que fazem exercícios. Entre elas está Maria Luísa da Rosa, que falou de sua rotina. “Eu faço os exercícios de máscara, com calçado e roupa adequada. Eu faço bem cedo e tomo água antes de ir. Não saio sem me hidratar. Eu costumo ir às 05h45 da manhã, mas eu vou junto com uma colega. Quando vou sozinha que vou um pouco mais tarde, por questões de segurança”, fala a alvoradense.

Contudo, por mais que seja importante para ela a prática de exercícios, mudanças foram necessárias devido ao calor. “Está muito difícil. Como eu vou cedo, o calor é um pouco menor. Eu tento carregar uma bolsa com um paninho e álcool-gel para enfrentar o calor. Eu me exercito por causa da saúde. Tenho problema de pressão e no joelho. Quanto mais eu me exercito, esses problemas acabam sumindo”, explica Maria.

Quem também está evitando ir nesses dias mais quentes é Glória Camaratta. “Nessa semana de calor está péssimo. Eu tenho 71 anos e tenho problemas nos pés e na coluna. Só posso fazer meia hora de caminhada. Eu também faço pilates por receita médica, mas caminhada é menos. Essa semana mesmo eu não fiz nenhuma vez por causa do calor”, enfatiza a aposentada.

Segundo ela, só estava sendo possível ir ao fim da tarde e sempre com uma garrafa de água e máscara – devido a pandemia. Contudo, devido ao calor, Glória passou mal e parou de fazer caminhada nesse período intenso do verão. Ela explica que foi em um dia que esqueceu de sua garrafa de água e teve que passar no mercado para se reidratar e recuperar do mal-estar.

Os cuidados com o corpo

Para o professor de educação física Diego da Silva, 27 anos, o exercício físico precisa de constância, permanência e insistência para que os resultados almejados sejam conquistados. Além disso, ele acredita que é preciso de orientação – tanto médica quanto física – para que seja possível mudar de vida com saúde e sem riscos desnecessários ou empecilhos.

Segundo ele, o primeiro passo antes de iniciar esses exercícios é procurar especialistas para orientações. “Para iniciar um treino ao ar livre é necessário saber o seu estado físico. É preciso fazer um acompanhamento e um check-up para ajudar as pessoas. Nas academias públicas muitas vezes não tem acompanhamento e as pessoas podem acabar se frustrando”, salienta o educador físico.

Além disso, ele ressalta que cuidados precisam ser tomados. “Existem riscos que precisam ser alertados, como a desidratação para quem não carrega consigo uma garrafa d’água e a insolação dependendo do lugar onde está sendo feito o exercício. Isso sem falar do risco de se desmotivar e nunca mais querer fazer exercícios. Por isso é importante a presença de um profissional habilitado”, finaliza Silva.

Os cuidados com a alimentação

O aspecto da desidratação também foi salientado pela nutricionista Fernanda Rosetti, 23 anos. “Devido à alta temperatura que está fazendo nos últimos dias acabamos perdendo mais água através do suor, principalmente os esportistas de atividades mais intensas e que pratiquem ao ar livre. Sendo assim, devem ficar atento a hidratação antes, durante e após a atividade física”, pondera a profissional.

Por causa disso, Fernanda destaca que existem maneiras de se controlar para que a desidratação não aconteça. Entre as dicas para mensurar a hidratação é através da cor da urina – quando em tons claros significa que a quantidade de água está adequada e quando está mais escura é necessário aumentar o consumo. Outra dica dada é sempre manter uma garrafa d’água próximo.

Já com relação a alimentação, é importante procurar equilíbrio nas escolhas. “Uma dica e consumir as frutas da estação não apenas em forma de suco, tentar incluir na sua rotina verduras e legumes e consumir menos alimentos ultra processados. Um material bem legal sobre alimentação saudável e o Guia alimentar para a população brasileira desenvolvido pelo Ministério da Saúde”, conta Fernanda.

Outra orientação dada pela nutricionista está relacionada as dietas restritivas e que visam o resultado rápido. Segundo ela, muitas pessoas acabam se frustrando quando não conseguem atingir as metas estabelecidas ou por acabar recuperando o peso quando param com a dieta. Segundo ela, essa prática acaba prejudicando a saúde e o processo de emagrecimento por não serem nutricionalmente equilibradas.

COMENTÁRIOS ( )