Segunda-Feira, 02 de Agosto de 2021 |

Escola Cecília Meirelles tem atividades presenciais suspensas devido a caso de Covid-19

Diretora Priscila Duarte teve teste positivo e outros três funcionários aguardam resultado

Por Redação em 18 de Junho de 2021

"Devido ao caso confirmado e aos três suspeitos, as atividades na escola foram suspensas até terça-feira" (Foto: Matheus Pfluck)


Na quarta-feira, 16/06, a Escola Cecília Meirelles teve suas atividades presenciais suspensas devido a confirmação de um caso de coronavírus em sua equipe. Trata-se da diretora da instituição, Priscila Duarte. Além disso, outros três funcionários da escola também estão com sintomas gripais e aguardam resultado de seus testes. Com isso, o Conselho Escolar votou pela suspensão das aulas presenciais.

Em entrevista, a professora Paula Aguiar, que faz parte do Conselho Escolar, explicou os motivos da decisão. “Tendo em vista os possíveis quatro casos de Covid-19, sendo um já confirmado, o Conselho Escolar definiu pela interrupção das atividades presenciais haja visto o risco de surto provocado pela convivência naquela semana com estas professoras que possuem sintomas gripais”, enfatiza a servidora pública.

Segundo a professora, na tarde de quarta-feira, 16/06, o COE-Escolar deliberou pelo fechamento apenas naquele dia. Isso porque o COE-Municipal não possibilitava a suspensão das atividades presenciais em caso de um caso confirmado. Por causa disso que foi convocada uma reunião do conselho, que é o órgão máximo da escola, para suspender temporariamente as atividades.

Entre as demandas apresentadas estão a testagem dos profissionais -ara evitar que o vírus circule na comunidade. Também foi solicitada a higienização completa da escola (a diretora transita por toda a instituição e se relaciona com professores, pais e alunos) e o acompanhamento das notificações. “A transparência nas informações auxilia na definição de novas medidas”, enfatiza a professora.

Para a servidora, o momento ainda é de insegurança com o vírus devido a diversos fatores. “Ainda que nós, professores, tenhamos recebido uma primeira dose de vacina, sabemos que esta não é suficiente para imunização e nem nos impede de transmitir a estudantes, que podem até ser assintomáticos, mas carregar o vírus para suas casas e famílias”, finaliza Paula.

Esse medo também é dividido com a comunidade. É o caso de Silvia do Nascimento, que faz parte do conselho. “Enquanto não tiver todo mundo vacinado, tanto professores quanto alunos, não tem como voltar as aulas normalmente como era antes. Infelizmente a gente vai ter que se adaptar a esse novo método de ensino e não tem outra coisa a fazer enquanto os alunos e professores não forem vacinados”, relata a mãe.

Resposta do Executivo

A Secretaria de Educação (SMED) informou que existe apenas um caso confirmado na escola. Além disso, existem outros três funcionários com sintomas gripais e que foram testados e afastados. Segundo a diretora do Departamento Pedagógico, Luciana Fernandes, todos os outros professores que tiveram contato com a diretora foram encaminhados para o Centro de Saúde para acompanhamento.

Questionada sobre a troca da equipe, foi informado que foi apenas para a averiguação dos casos. “A equipe diretiva foi substituída por assessores da SMED apenas na quarta-feira para que a SMS e a SMED pudessem fazer o estudo dos protocolos e dar os encaminhamentos para a escola. A ideia é manter a escola fechada na quinta e sexta-feira para que se conclua a higienização que começou na quarta”, afirma Luciana.

Segundo a diretora do Departamento Pedagógico, cerca de 20 alunos entre o primeiro e o sexto ano haviam retornado para a escola – o restante havia optado por seguir com o ensino remoto – nos turnos da manhã e tarde. Os próximos passos, segundo orientações do COE e dos órgãos competentes nas esferas municipais e estaduais é de manter a escola fechada até terça-feira e aguardar os resultados dos testes.

Dados da semana

O Governo do Estado divulgou na tarde de quinta-feira, 17/06, o seu mais recente boletim epidemiológico da pandemia do coronavírus. Assim é possível averiguar que Alvorada está com 19.914 casos confirmados desde a primeira quinzena de março, quando foi confirmado o primeiro paciente alvoradense. Além disso, já são 707 óbitos causados pela doença.

Nessa semana foram confirmados mais 309 casos. Isso é menos do que na última semana, quando foram 347 pacientes contaminados. O número de óbitos também caiu. Nessa semana foram confirmadas oito vítimas da pandemia. Os dados de pacientes recuperados, isolados e hospitalizados foi divulgado pela Prefeitura no início da semana passada, através de nota nas redes sociais.

No boletim epidemiológico municipal de quinta-feira-feira, 17/06, já havia 19.884 casos confirmados. Desses, 18.864 já estão reestabelecidos. Ainda existem 214 alvoradenses em isolamento domiciliar e 101 hospitalizados. Na quinta-feira, por volta das 11h – quando foi divulgado o ofício – já eram 705 mortes confirmadas pela pandemia do coronavírus dentro do município.

COMENTÁRIOS ( )