Quarta-Feira, 12 de Maio de 2021 |

Produção de composteiras ajudam na criação de hortas comunitárias em bairros do município

A Prefeitura trabalha para auxiliar a comunidade durante a pandemia do coronavírus

Por Redação em 16 de Abril de 2021

"No bairro Aparecida já estão prontos os canteiros para a horta comunitária ser colocada em prática" (Foto: Divulgação)


A Secretaria de Meio Ambiente (SMAM) e a EMATER/RS estão trabalhando em uma iniciativa pioneira em Alvorada. Isso porque eles estão gerando matéria orgânica para suprir as hortas de caráter social, agricultura urbana, paisagismo e embelezamento da cidade, além de dar o destino adequado para os resíduos orgânicos gerados pelas podas das árvores no município.

As duas composteiras têm 3,7m por 28m e 0,8m de profundidade e estão instaladas no Horto Municipal. Elas foram construídas em camadas constituídas por diversas fontes de matérias, sendo alguns ricos em nitrogênio e outros em carbono. Foi acrescentado ainda composto Classe A, orgânico doado pela Ecocitrus. Na composteira foram colocados respiradores feitos de cano de PVC para garantir a ventilação.

Trituramento de galhos

Em entrevista, secretário de Meio Ambiente, Rudi Guzati ressalta que o picador de galhos da Prefeitura além de reduzir o material facilitando a compostagem, diminui o descarte incorreto de resíduos sólidos pela cidade, ressaltando o paisagismo e as belezas naturais, que são muitas. Hoje ele está no Horto Municipal caso os alvoradenses precisem do serviço,

O projeto teve início há cerca de dois meses. Agora estamos trabalhando bastante para informar a população. “Nós estamos avisando as pessoas que tem podas de galhos de árvores que tragam esses materiais para a SMAM. Nós fazemos a trituração e a compostagem para a criação de hortas comunitárias, para as flores localizadas na Avenida e para os postos de saúde e CRAS”, explica Guzati.

Além disso, o biólogo Sandro Ribeiro afirma que essa iniciativa auxilia no trabalho da SMAM de educação ambiental da população. “Isso sem deixar de orientar a comunidade que nenhuma árvore pode ser cortada ou podada sem a autorização da SMAM. Então a gente também faz essa orientação as pessoas que nos procuram e trazem o material para o processamento”, explica o servidor público.

Avaliação da EMATER

Segundo a EMATER/RS, é importante usar o picador para a redução do tamanho da biomassa vegetal. Isso porque assim se dá o destino adequado a biomassa que não tem valor de mercado para gerar nenhum tipo de energia, mas que mal manejada e com um processo muito lento de decomposição acaba não sendo benéfica para o ambiente, além de ser um foco para deposito de lixo inorgânico.

A EMATER/RS explica que a composteira se encontra na fase termófila neste momento, ou seja, com grande atividade biológica para estabilização do composto. O projeto tem a pretensão de envolver toda comunidade alvoradense assim que a pandemia passar, através da separação dos resíduos e destino adequado por meio da compostagem. Isso também auxiliará no futuro das hortas comunitárias.

Realidade na Aparecida

Por mais que o projeto ainda esteja na sua fase inicial, já existem espaços sendo beneficiados. É o caso da horta comunitária do Bairro Aparecida. Lá as moradoras Magda Martins, Estela Azollin e a Katia Ribeiro são as responsáveis pela manutenção do espaço que ainda está em fase de implantação. A Prefeitura já auxiliou com a compostagem e auxílio na instalação.

Segundo Magda, que mora há 11 anos no bairro, a ideia é incentivar a ocupação dos pequenos espaços. “Esperamos que esse projeto alcance toda a comunidade, principalmente aqui no entorno. E que, com isso, seja suprida as necessidades e ajude na interação da comunidade. Claro que isso respeitando todos os protocolos. Temos pessoas com depressão que já estão bem animados”, confessa a dona de casa.

E essa não será a única horta comunitária. Quem confirma isso é o próprio secretário da SMAM. “O Bairro São Francisco também deve receber uma horta comunitária em breve. O Jardim Algarve também deve receber um investimento nesse sentido. Isso sem falar no Bairro Umbu, que já estamos em tratativas para promover algo na região do Pradinho”, finaliza Guzati.

COMENTÁRIOS ( )