Sexta-Feira, 07 de Maio de 2021 |

Programa Água, Vida e Cidadania leva água tratada para áreas ocupadas

Alvorada já está na lista de municípios que devem ser contemplados no próximo edital

Por Redação em 09 de Abril de 2021

"O abastecimento de 587 imóveis foi regularizado durante a pandemia" (Foto: Divulgação)


O Programa Água, Vida e Cidadania da Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN), que visa atender a população residente em áreas de ocupação consolidada, já regularizou 1.635 imóveis em Canoas, Eldorado do Sul, Horizontina, Rio Grande, Rio Pardo, Santa Maria, Santo Ângelo, Triunfo e Viamão, beneficiando 4.905 pessoas, sendo que 587 imóveis são relativos a ações realizadas em plena pandemia.

Para este ano, cujo processo licitatório está em andamento, estão previstas mais 4.623 regularizações, beneficiando em torno de 14 mil pessoas nos municípios de Cachoeirinha, Capão da Canoa, Rio Grande, Santa Maria e Viamão. Além disso, já estão previstos novos editais para contemplar Alvorada, Capão do Leão, Cidreira, Portão e Sapucaia do Sul, com mais 5.640 imóveis beneficiados.

Nesse projeto estratégico da CORSAN, a meta é atingir 10.631 ligações até o final de 2022. Assim, se for considerado que cada moradia tem em média uma família de três pessoas, o programa vai beneficiar um universo de aproximadamente 35 mil pessoas em vulnerabilidade social que receberão essa política pública de saneamento básico nos próximos anos.

Conforme o diretor Comercial, de Inovação e Relacionamento, Jean Bordin, essa iniciativa é de suma importância não apenas para o meio ambiente. “O programa oportuniza mais saúde, dignidade e cidadania, pois também inclui o usuário no cadastro da CORSAN, ou seja, o cidadão recebe seu comprovante de endereço, tornando-se parte da comunidade em que está inserido”, enfatiza o gestor.

Além da regularização do abastecimento com água de qualidade, o projeto substitui as ligações clandestinas na rede da CORSAN (os chamados gatos), que não têm acesso à água tratada de qualidade, pois as infraestruturas são praticamente inexistentes, com tubulações por vezes fora do padrão e com vários furos, contaminando a água que consomem.

A partir da regularização junto à companhia, não há cobrança da primeira ligação, dando direito à tarifa social por dois anos, bem como é suspenso o faturamento durante três meses. A medida visa conscientizar o usuário do consumo e responsabilidade ambiental, que recebe também acompanhamento presencial de trabalho técnico social, com o desenvolvimento de dinâmicas participativas e ações de geração de trabalho e renda.

COMENTÁRIOS ( )