Sexta-Feira, 18 de Junho de 2021 |

Secretaria de Meio Ambiente apresenta novidades sobre o programa de adoção dos espaços públicos

Principal mudança se dá na manutenção e nos cuidados com a Lagoa do Cocão

Por Redação em 14 de Maio de 2021

"A praça da Lagoa do Cocão é um dos espaços que já foi adotado por pequenos empresários do município" (Foto: Divulgação)


Em 2019, o Jornal A Semana noticiou o programa de adoção das praças e canteiros do município. Em um primeiro momento a ideia era garantir a manutenção da Lagoa do Cocão e, posteriormente, foi ampliado para os canteiros da Avenida Presidente Getúlio Vargas. Agora, cerca de dois anos depois, a Secretaria de Meio Ambiente (SMAM) anuncia mudanças para qualificar o projeto.

Mudanças no programa

A principal mudança no programa de adoção da Lagoa do Cocão está no alcance de cada empresário. Em um primeiro momento, eram quatro adotantes que cuidavam de toda a manutenção do parque. Contudo, devido a pandemia, houve uma redução e a SMAM optou por desenvolver um novo projeto: além dos adotantes do parque, agora existem também os adotantes de espaços da Lagoa.

Quem explica como funcionará esse projeto é a diretora do Gabinete da SMAM, Renata Passos. “A gente está lançando o programa de adoção de espaços da Lagoa do Cocão. Hoje, devido a pandemia, existem apenas dois adotantes cuidando da manutenção e nós estamos convidando pequenos empresários para adotarem espaços específicos da Lagoa”, enfatiza a servidora.

Outra mudança que aconteceu foi no projeto ‘Cidade Florida’, que tem como objetivo adotar os canteiros centrais da cidade. Segundo Renata, se viu que o plantio não tinha durabilidade. Por causa disso, foi feito um estudo na cidade de Gramado para compreender como eram feitos o plantio e a manutenção dos canteiros. Depois disso se apresentaram mudanças no programa.

A principal delas é sobre o cultivo e a plantação. Isso porque se via que o trabalho feito não tinha sequência e as plantas acabavam morrendo. “Antigamente era plantado apenas no saibro e nada vinha. Agora está sendo feito um trabalho no solo com a compostagem que fizemos. Além disso, as mudas estão sendo plantadas conforme a época do ano e com o que é produzido aqui no Horto Municipal”, afirma Renata.

Todas essas ações visam aumentar a autoestima da população. Contudo, para que as iniciativas andem, é necessário o apoio de empresários. “Eu queria mesmo que a população se engajasse nos nossos projetos, mas isso não acontece. Por isso vamos atrás dos comerciantes locais para conseguir esse cuidado. Queremos sim ampliar isso para os bairros e estamos trabalhando para isso”, finaliza a diretora.

O apoio dos empresários

Um dos espaços que já conta com adotante na Lagoa do Cocão é a praça. A GConsult fará a manutenção pelos próximos seis meses. Segundo o proprietário Andrew Carvalho, a ideia poder manter aquela área revitalizada e cuidada por todos. “Entendemos que podíamos prestar uma pequena colaboração, no sentido de auxiliar na manutenção e conservação de um espaço tão importante e tão lindo”, explica o empresário.

Segundo o alvoradense, todos têm ciência da crise econômica e como isso impacta na vida de quem empreende, mesmo assim é importante ajudar nos cuidados com o município. “Aqueles que tem essa possibilidade devem dar a sua parcela de contribuição. Auxiliar nossa cidade nos motiva e nos alegra. A GConsult vê isso não como um encargo, mas como um privilégio”, finaliza Carvalho.

Já o canteiro central também conta com adotantes em negociação. Um deles é César Glöckner, do Mercadão da Limpeza. “Essa é uma prática minha e da minha esposa. Nós já fazemos isso em frente a praça que moramos. Nós preservamos a praça porque não podemos esperar pelo poder público, pois o alcance deles é pequeno. Parcerias como essas são essenciais para a cidade”, pondera o empresário.

Adoção de espaços públicos

Entre os objetivos está a ampliar a recuperação e manutenção das áreas verdes; garantir a participação de empresas, associações e cidadãos na gestão ambiental; criar um mecanismo capaz de permitir uma economia no orçamento destinado à manutenção e conservação de praças, parques, lagoas e canteiros; e garantir à população ambiente agradável para a prática de esporte e lazer, educação ambiental e qualidade de vida.

Para isso, o adotante terá de executar os serviços de manutenção do patrimônio adotado; conservar e manter passeios internos ou cerca de proteção dos jardins, equipamentos de irrigação e drenagem, equipamentos de lazer e descanso, além de monumentos públicos, quando instalados na área adotada; conservar e mantiver árvores, gramados, arbustos e plantas ornamentais.

COMENTÁRIOS ( )