Quinta-Feira, 19 de Maio de 2022 |

Secretaria de Meio Ambiente trabalha para implantar três ecopontos no município, mas não apresenta prazos

Projeto está em fase de elaboração e não tem previsão para ser instalado

Por Redação em 28 de Janeiro de 2022

"Um dos ecopontos projetados pela Prefeitura vai funcionar em anexo ao Transbordo" (Foto: Arquivo A Semana)


Em março do ano passado, o Jornal A Semana noticiou que a Secretaria de Meio Ambiente (SMAM) estava trabalhando na implantação do primeiro ecoponto do município. O serviço de descarte correto dos resíduos serviria para a destinação de materiais como móveis, eletros, papéis, resíduos de podas e da construção civil. Contudo, dez meses se passaram e até agora o projeto não saiu do papel.

Cabe ressaltar que os ecopontos – ou Estações de Entrega Voluntária de Resíduos Sólidos – já existem em outros municípios. Gravataí inaugurou nesta semana o seu quarto ecoponto para tentar dar fim ao descarte irregular de resíduos. A principal finalidade é de servir como local para a destinação desses resíduos de maior volume que o sistema público de lixo municipal não coleta.

Já em Alvorada a instalação desses equipamentos públicos já está prevista no Plano Municipal de Saneamento Básico, publicado em 2013, no início da gestão do professor Serginho (PT). De acordo com o Plano, até o ano de 2023 Alvorada deverá ter cinco ecopontos instalados, evoluindo para, pelo menos, oito em 2033, tendo como meta zerar a quantidade de focos de lixo em vias públicas.

Contudo, até o momento, não existe nenhum ecoponto em funcionamento no município, mas a perspectiva é de que isso vai mudar. Isso porque, segundo a bióloga Nicolle Pesoa, a SMAM trabalha desde o ano passado para instalar três ecopontos na cidade, sendo que dois deles já estão com locais definidos: em frente ao IFRS e ao lado do Transbordo Municipal.

Segundo ela, o projeto só não saiu do papel devido a pandemia e as questões orçamentárias. “Esses ecopontos estão em fase de elaboração do projeto arquitetônico. A gente sabe que não será uma estrutura muito grande, até porque não temos recursos para isso. Hoje o município ainda não tem nenhum ecoponto, mas existem três em fase de elaboração de projeto para implantar o mais breve possível”, salienta Nicolle.

Questionado sobre os prazos, a SMAM afirma que não é possível dar uma previsão de quando os ecopontos estarão em funcionamento. Isso porque hoje ele está na elaboração do projeto arquitetônico. Depois disso ainda é necessário passar pela análise de licenciamento e Departamento de Compras. Esse processo pode se repetir algumas vezes até ir de fato para licitação e, posteriormente, instalação.

O secretário da SMAM, Rudi Guzati, explica que esses ecopontos têm o objetivo de retirar da calçada a grande quantidade de materiais como sofás, lajotas, galhos de árvores. Entretanto, por mais que isso seja uma vontade da administração, falta recurso no orçamento para tirar o projeto do papel. Por isso que os ecopontos ainda não estão em funcionamento.

Segundo ele, o recurso é da Secretaria de Serviços Urbanos (SEMSU) e a SMAM auxilia na parte técnica e de licenciamento. “Está mais perto do que nunca e eu acho que vai deslanchar dessa vez. Alvorada está atrás de toda a região metropolitana e é preciso. A implantação precisa acontecer e estamos com o projeto desses três”, salienta o titular da pasta.

Contudo, para ele, é importante focar em outras ações além do ecoponto. “É preciso trabalhar na conscientização da população sobre a separação dos resíduos e a destinação correta. Não adianta achar que o ecoponto será um novo lixão que não é esse o objetivo. Por isso é preciso conscientizar e educar a comunidade. Só assim teremos progresso na cidade”, finaliza Guzati.

COMENTÁRIOS ( )