Quarta-Feira, 18 de Maio de 2022 |

Alvorada é o município que registrou a maior queda no número de homicídios dentro do Rio Grande do Sul

Houve uma queda de 47 casos – ou 40,5% – registrados quando se comparam os anos de 2020 e 2021

Por Redação em 14 de Janeiro de 2022

"A apresentação ocorreu em Alvorada e as autoridades se reuniram com o prefeito Appolo para apresentar os dados" (Foto: Divulgação)


Imagine todos os 932 habitantes de Engenho Velho, na Região Norte, mais os 1.084 residentes de União da Serra, riscados do mapa. Ou que a população inteira de Pedras Altas, de Doutor Ricardo ou de São José do Inhacorá deixasse de existir. Essa a dimensão do resultado alcançado nos últimos três anos com a implantação do Programa RS Seguro, na redução dos crimes violentos letais e intencionais.

Somados os homicídios, latrocínios e feminicídios, as quedas em sequência nas ocorrências do tipo desde 2018 alcançam a marca de 2.056 vidas preservadas no período. É o que revelam os dados do balanço de indicadores criminais do Estado, divulgado nesta quinta-feira, 13/01 pelo governador e pelo vice-governador, também secretário da Segurança Pública, na praça central de Alvorada.

Dessa vez a apresentação dos índices de criminalidade ocorreu e Alvorada, que já foi considerado o sexto município mais violento do Brasil, conforme o Atlas da Violência produzido pelo Fórum Brasileiro da Segurança Pública com dados de 2017. Isso porque o município teve a maior redução de homicídios em 2021. Foram 69 mortes por assassinato, 47 a menos que as 116 ocorridas em 2020, uma queda de 40,5%.

Com isso, a taxa de homicídios da cidade, que no pico de quatro anos atrás, com 210 vítimas, era de 100,9 mortes para cada 100 mil habitantes, caiu para 32,5, no menor patamar desde que teve início a série histórica, em 2012. E o monitoramento da Gestão de Estatística em Segurança no grupo de 23 municípios priorizados pelo RS Seguro, do qual Alvorada faz parte, indica que o cenário poderá ficar ainda mais positivo no futuro.

A redução desses crimes se dá devido a integração das forças de segurança. “Em dezembro, tivemos apenas um assassinato no dia 5 e passamos os 29 dias subsequentes sem um novo registro, o que ocorreu em 4 de janeiro. Dois dias depois, o crime já estava elucidado, com suspeito preso, arma e munições apreendidas”, afirma o delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) Edimar Machado.

Além de Alvorada, que liderou o ranking da redução de homicídios na comparação com 2020, outras sete das 23 cidades priorizadas pelo programa ocupam posições na lista das 10 maiores quedas nesse indicador. Entre 2020 e 2021, o número de assassinatos caiu de 1.811 para 1.561, uma retração de 13,8%. E dos 250 homicídios a menos, 159 foram reduzidos no conjunto dos 23 municípios.

O parecer do Executivo

Uma das lideranças presentes no evento foi o prefeito José Arno Appolo do Amaral (MDB), que falou da importância que a segurança tem no seu governo. “Nós queremos uma polícia forte para proteger o trabalhador. Queremos que o cidadão possa tomar um chimarrão na rua sem ser perturbado. Nós queremos a polícia nos bairros, pois é lá que o braço do estado quase não chega”, salienta o chefe do Executivo.

Segundo ele, o município faz o que está ao seu alcance para auxiliar o Estado na segurança pública. “A integração é de extrema importância. Por isso nós investimentos bastante no que é possível. O nosso sistema de videomonitoramento é um dos mais desenvolvidos do estado. Aliando a tecnologia com o trabalho forte e o apoio do Estado, a gente está conseguindo resolver os nossos grandes problemas”, finaliza Appolo.

COMENTÁRIOS ( )