Segunda-Feira, 02 de Agosto de 2021 |

Assembleia Legislativa realiza audiência e pede mais tempo para discutir proposta de concessão da ERS-118

A vereadora Giovana Thiago e a ex-prefeita Stela Farias representaram Alvorada no evento

Por Redação em 09 de Julho de 2021

"Alvorada esteve representada na audiência pública pela vereadora Giovana Thiago" (Foto: Reprodução)


Após o anúncio que o plano de concessão de rodovias prevê um pedágio na ERS-118, diversas lideranças reagiram contra a cobrança. O assunto causou controvérsia e resultou na criação do Movimento RS-118 Sem Pedágio, formado por lideranças dos municípios cortados pela estrada, que pedem que o governo retire o trecho do pacote de concessões que vai entregar 20 rodovias gaúchas à iniciativa privada por 30 anos.

O tema foi tratado em audiência pública da Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa. Embora convidados, os representantes do governo gaúcho não participaram da audiência. O presidente da Comissão, deputado Edegar Pretto (PT), diz que o debate atende ao pedido das lideranças de municípios que tem envolvimento direto com o trecho – entre eles está Alvorada.

Conforme o parlamentar, há preocupação a respeito do pedágio na região, por se tratar de uma via de grande fluxo da região Metropolitana de Porto Alegre. Outros dois fatores polêmicos em relação à proposta do governo, dizem respeito a falta de isenção de tarifa para veículos da mesma cidade das praças de pedágio, como hoje ocorre na RS-040, em Viamão, e o fato da duplicação da rodovia ter sido feita com recursos públicos.

Pretto lembrou que a ERS-118 cruza áreas urbanas de uma região que é um polo logístico industrial da região. “Nossa Comissão acolheu o pedido e abrimos o debate com a sociedade. O governo Eduardo Leite propôs três audiências públicas de três horas cada. Ou seja, um projeto de 30 anos que vai ser debatido em nove horas, ao todo”, alerta o parlamentar.

Representando Alvorada esteve a ex-prefeita Stela Farias (PT) e a vereadora Giovana Thiago (PT), que se manifestou durante a audiência. “Muito tem se aventado que o município é favorável ao pedágio em outros locais, desde que não seja em Alvorada. Já a nossa posição é de contrariedade ao pedágio em qualquer local. Nós entendemos que o desenvolvimento econômico tem de ser para toda a região”, salienta a vereadora.

O governo anunciou para os dias 12, 13 e 14 de julho as datas das consultas e audiências públicas para discutir com a população sobre os editais. Concluídas essas etapas, passará por análise da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (AGERGS) e depois os editais serão publicados e a data dos leilões serão marcadas.

Como encaminhamento da audiência pública, o deputado Edegar Pretto informou que será formalizado um pedido de agenda ao governador Eduardo Leite, ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público, com o objetivo de adiar as audiências públicas agendadas pelo governo para a próxima semana. O entendimento é que se precisa mais tempo para analisar e discutir a proposta com toda a população que será impactada.

COMENTÁRIOS ( )