Quarta-Feira, 12 de Maio de 2021 |

Câmara aprova investimentos de mais de R$ 300 mil para construção de praça na Nova Americana

Serão investidos R$ 322 mil oriundos de uma contrapartida da CORSAN para a revitalização do local

Por Redação em 09 de Abril de 2021

"Devido aos altos índices da pandemia, a sessão voltou a ser realizada de forma remota pelos vereadores" (Foto: Reprodução)


Após novos casos de coronavírus confirmados na Câmara de Vereadores, o Legislativo se reuniu através de videoconferência na noite de terça-feira, 06/04, para debater quatro projetos de lei que estavam na ordem do dia. Entre eles estava o projeto de lei Nº 015/2021, de autoria do poder Executivo, que autoriza o investimento de R$ 322 mil para a construção de uma praça na Nova Americana.

A vereadora Giovana Thiago (PT) questionou se o projeto teria recurso específico ou seria livre. Segundo ela, caso fosse recurso livre, o foco seria unir esforços para a pandemia do coronavírus. Contudo, segundo o presidente Cristiano Schumacher (PTB), esse recurso veio da Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN) e só pode ser usado em recuperação de área degradada.

Um dos parlamentares que fez o uso da palavra foi o vereador Marquinhos (MDB), que é morador do Bairro Nova Americana. Ele falou da importância desta obra. “Ali aonde vai ser construído a praça é um local que serve marmita para a comunidade e sofre com o acúmulo de lixo. Infelizmente a Prefeitura não dá conta da quantidade de lixo que é depositada ali. Por isso é importante esse recurso”, enfatiza o parlamentar.

Base X Oposição

Também estava na ordem do dia o projeto de lei Nº 009/2021, de autoria do vereador Daniel Bordim (DEM). O projeto já havia tramitado em semanas anteriores, mas foi retirado de pauta após pedidos dos vereadores. Nessa semana, a proposta voltou a pauta com as alterações propostas pela Câmara – principalmente do vereador Rodrigo Schim (PL), que trabalhou na Secretaria de Meio Ambiente (SMAM).

Isso porque o projeto de lei trata da questão das podas de árvores. Contudo, após voltar a pauta, a iniciativa teve um novo pedido de vistas – apresentado por Marquinhos – e aprovado pela maioria dos vereadores. Inclusive o vereador Schim votou favorável. Agora o projeto volta a tramitar e deve voltar a pauta em um período de dez dias após a sessão desta terça-feira.

Em sua fala, o vereador falou sobre o que está acontecendo dentro do Legislativo municipal quando são os seus projetos que estão em pauta. “O que me causa estranheza nesta casa é que o projeto foi retirado e que os vereadores disseram que votariam ele quando eu fizesse as alterações. Todos receberam o projeto e quem diz que não está faltando com a verdade”, desabafa Bordim.

Depois disso, foi apresentado o projeto de lei Nº 010/2021, de autoria de Rodrigo Schim. A proposta trata da instalação de ecopontos na cidade. Durante a votação, a vereadora Giovana Thiago apresentou uma emenda que trata da autorização sobre onde ficarão esses ecopontos. Contudo, a emenda da parlamentar não passou e o projeto de lei foi aprovado da maneira que foi apresentado inicialmente.

Após a negativa da emenda, o vereador Elias Fernandes (PSB) fez o uso da palavra em um momento que causou controvérsia na sessão. Isso porque ele levantou um debate sobre a base e a oposição do governo. “Eu acho que já está virando uma guerra do lado de lá contra o lado de cá. O projeto está perfeito e muito bem montado. Está ficando uma força desnecessária na disputa”, enfatiza o parlamentar.

A vereadora do PT se posicionou a respeito dessa situação entre a base e a oposição. “Fico muito insatisfeita com a votação dos colegas em uma emenda que não muda em nada o projeto. Ela só esclarece as responsabilidades. O que está se mostrando aqui é que os vereadores que não fazem parte do governo estão sendo boicotados pelos outros vereadores. Isso porque não fazemos parte da base do governo”, desabafa Giovana.

Projeto de Rodrigo Mendes

O vereador Rodrigo Mendes (Republicanos) apresentou o projeto de lei que estabelece a criação de bolsões de proteção para motocicletas e bicicletas nas vias providas de semáforo. Considera-se bolsão o espaço livre demarcado antes da faixa de retenção e exclusivo para que esses veículos se posicionem a frente dos demais enquanto aguardam o semáforo. A proposta do parlamentar foi aprovada por unanimidade.

COMENTÁRIOS ( )