Domingo, 26 de Setembro de 2021 |

Câmara realiza sessão extraordinária e aprova seis projetos do Executivo

Vereadores se pronunciaram sobre as contratações emergenciais e o SIMA

Por Redação em 30 de Julho de 2021

"A sessão extraordinária não foi transmitida pela TV Câmara" (Foto: Henrique Santos)


A Câmara de Vereadores está em recesso parlamentar até a próxima terça-feira, 03/08. Contudo, mesmo nesse período, o Legislativo se reuniu na última semana em uma sessão extraordinária para votar seis projetos de autoria do poder Executivo. Somente o vereador Daniel Bordim (DEM) não esteve presente na sessão e todos os projetos foram aprovados pelos parlamentares.

Projetos

Os dois primeiros projetos enviados pela Prefeitura tratavam da autorização para contratação emergencial temporária. Essas duas propostas contemplam os cargos de operador de escavadeira, operador de rolo compactador, operador de retroescavadeira, operador de pá-carregadeira, operador de motoniveladora, arquiteto, engenheiro civil e contador.

Também existem duas prorrogações de contratos emergenciais. O primeiro trata da renovação dos 16 educadores sociais e o segundo são dos técnicos de informática. Já os últimos dois projetos são de aberturas de créditos especiais nos valores de R$ 640 e R$ 23 mil para, respectivamente, restituição de adiantamento da SMCEJ e pagamento de fornecedor de máquinas e equipamentos para construção civil.

Uso da tribuna

Três vereadores utilizaram a tribuna. A primeira foi a vereadora Giovana Thiago (PT), que afirmou ter votado nos projetos relacionados a contratações emergenciais por não haver possibilidade de realização de concursos públicos neste período. Ela também se mostrou contrária a revogação do reajuste salarial do funcionalismo público que foi denunciado pelo SIMA recentemente.

O vereador Celmir Martello (DEM) também se pronunciou para afirmar que o Governo Federal enviou recursos para os municípios e que o aumento, por mais que seja justo, é inviável devido a pandemia da Covid-19. Segundo ele, os gastos do último ano com auxílio-emergencial e combate ao coronavírus impactaram nos cofres públicos e é preciso compreender as decisões da União.

Por último o presidente Cristiano Schumacher (PTB) também afirmou ser contrário as contratações emergenciais por concordar com os concursos públicos, mas destacou que não é possível fazer isso no momento. Segundo o vereador, este é o maior momento de crise sanitária do país e o decreto presidencial impossibilita a realização de concursos públicos e o reajuste salarial do funcionalismo.

COMENTÁRIOS ( )