Quarta-Feira, 12 de Maio de 2021 |

CPI dos Medicamentos inicia trabalhos para investigar aumento abusivo dos medicamentos

Entre os ofícios está a convocação de diretores do Hospital de Alvorada

Por Redação em 23 de Abril de 2021

"CPI dos medicamentos, presidida pelo deputado Thiago Duarte, aprova oitivas com gestores de hospitais" (Foto: Divulgação)


A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com a finalidade de investigar os aumentos de preços de medicamentos e insumos utilizados no combate à pandemia de Covid-19 irá requerer dados de comercialização do chamado kit intubação orotraqueal e informações de ocorrência de sobrepreço em compras públicas, envolvendo sedativos e bloqueadores musculares utilizados no tratamento de pacientes.

Também deverá instaurar um procedimento investigatório das notas fiscais relativas à comercialização de medicamentos a partir de 1º de janeiro deste ano no Rio Grande do Sul. Requerimentos neste sentido foram aprovados junto com outras 33 proposições, todas apresentadas pelo presidente do colegiado, que é o deputado estadual Thiago Duarte (DEM).

Os deputados aprovaram ainda a realização de visitas técnicas à Santa Casa de Misericórdia, ao Hospital de Clínicas, ao Grupo Hospitalar Conceição, ao Hospital Geral de Caxias do Sul e aos hospitais de Passo Fundo. Também foi aprovada a realização de oitivas com representantes da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS) e do Conselho Regional de Medicina (CREMERS), que deverão prestar esclarecimentos.

Hospitais

A CPI deverá ouvir ainda diretores de diversos hospitais do Rio Grande do Sul. Entre os requerimentos aprovados neste sentido estão os que autorizam a convocação, também na qualidade de testemunhas, de diretores técnicos, diretores administrativos, diretores gerais ou dirigentes equivalentes, dos principais hospitais de Porto Alegre, Bagé, Passo Fundo, Caxias do Sul, São Leopoldo, Alvorada, São Gabriel e Santa Maria.

A CPI também receberá denúncias dos cidadãos que desejarem colaborar com testemunhos de situações que possam ensejar práticas ilícitas ou criminosas. “O sucesso da CPI depende de todos nós, especialmente dos hospitais, médicos e dos agentes públicos, para evitar que pessoas morram por falta de medicações essenciais para a manutenção da vida”, explica Thiago Duarte.

COMENTÁRIOS ( )