Quinta-Feira, 27 de Janeiro de 2022 |

Alvorada registra mais de 200 casos confirmados de Covid-19 em apenas uma semana

Número é três vezes maior do que a quantidade confirmada na edição anterior do Jornal A Semana

Por Redação em 14 de Janeiro de 2022

"A campanha de imunização segue acontecendo no Centro de Vacinação, ao lado do PAM-8" (Foto: Divulgação)


Assim como todo o Rio Grande do Sul, Alvorada segue registrando um aumento dos casos de Covid-19. Nesta semana foram 287 casos confirmados. O número é quase quatro vezes maior do que o registrado na primeira semana de janeiro – 77 casos. Contudo, o número de óbitos foi de apenas um desde a última quinta-feira, 06/12, quando ocorreu o fechamento da última edição do Jornal A Semana.

A secretária de Saúde (SMS), Neusa Abruzzi, está de férias e quem responde pela pasta é a diretora-técnica Adriana Parisotto. Segundo ela, já se tem indícios que justifiquem o aumento de casos. “A falta das medidas de prevenção pelas pessoas e as aglomerações, principalmente neste final de ano com as festividades também contribuíram para o aumento no número de casos de Covid-19”, salienta a servidora.

Segundo ela, entre as medidas de prevenção que não estavam sendo adotadas estão o uso de máscara, higienização das mãos e do ambiente. Adriana também confirmou que a nova variante, intitulada ômicron, já está em nível de transmissão comunitária. Cabe ressaltar que essa variante foi detectada na África do Sul em novembro de 2021 e já está no Brasil desde o ano passado.

Dados da semana

Foi divulgado na tarde de quinta-feira, 06/01, pelo Governo do Estado o novo boletim epidemiológico da pandemia do coronavírus. Nesse cenário é possível confirmar que Alvorada conta com 23.697 casos confirmados desde a primeira quinzena de março de 2020, quando foi confirmado o primeiro paciente do município. Quando se trata dos óbitos, é possível confirmar o número de 827 vítimas da Covid-19.

Nessa semana, o Governo do Estado confirmou 287 novos casos. Esse número é maior do que na última semana, quando foram confirmados 77 casos. Já no caso dos óbitos, houve o registro de uma nova vítima – o mesmo número que na última semana. Os dados de pacientes recuperados, isolados e hospitalizados foi divulgado pela Prefeitura no decorrer da semana.

No boletim epidemiológico municipal de quarta-feira, 12/01, já havia 23.580 casos confirmados. Desses, 22.733 já estão reestabelecidos. Ainda existem 18 alvoradenses em isolamento domiciliar e dois hospitalizados. Na quarta-feira, por volta das 10h – quando foi divulgado o ofício – já eram 827 mortes confirmadas pela pandemia do coronavírus dentro do município.

Campanha de imunização

Segundo último boletim do Estado, Alvorada já recebeu 324.774 mil doses de vacinas – entre primeira dose, segunda dose e dose única. Dessas doses, 87.4% já foram aplicadas na população. Com isso, 123.489 pessoas já estão com o ciclo de imunização concluído (duas doses ou dose única). Além disso, outras 25.913 alvoradenses já receberam pelo menos a primeira dose da vacina.

Os números são os mesmos das últimas semanas, mas isso foi explicado pela infectologista Karin Rauber. O motivo está relacionado ao ataque de hackers na plataforma, mas a SMS vem fazendo o controle das vacinas aplicadas. A reportagem do Jornal A Semana questionou a Prefeitura para saber quais os índices da campanha, mas não obteve retorno até o fechamento da edição.

Com a chegada dos menores de idade, a Secretaria de Saúde (SMS) vacinou na quinta-feira, 13/01, os jovens de 12 anos completos ou mais. Além disso, estão recebendo a terceira dose os alvoradenses com intervalo de quatro meses da segunda dose. As aplicações de segunda dose de Pfizer, Coronavac e Oxford seguem sendo aplicadas. No caso da Janssen, já pode procurar a imunização quem se vacinou até 30 de julho.

Já podem ser imunizados com a terceira dose os imunodeprimidos que tomaram a segunda dose em um intervalo de 28 dias. Podem procurar o serviço os quem tem imunodeficiência primária grave, faz tratamento de quimioterapia, transplantados de órgão, portador de HIV/AIDS, uso de corticoides, uso de drogas da resposta imune, auto inflamatórios, pacientes em hemodiálise e com doenças inflamatórias crônicas.

COMENTÁRIOS ( )