Domingo, 26 de Setembro de 2021 |

Carta do leitor

19J: segundo dia de atos nacionais pelo Fora Bolsonaro, Vacinas Já, contra a Reforma Administrativa, entre outras bandeiras urgentes para o Brasil

Por Rafael Freitas, candidato a vice-prefeito nas eleições de 2018 em 25 de Junho de 2021


Em menos de um mês tivemos dois grandes atos nacionais contra o governo Bolsonaro, nos dias 29 de maio e 19 de junho. O mais recente aconteceu em mais de 400 cidades em todo o Brasil e em outros países, enquanto o anterior em cerca de 200 municípios.

O 19 J foi ainda maior, portanto! Todos unidos com uma única causa: partidos políticos, coletivos, sindicatos, movimentos estudantis, negros e indígenas, entre outros, exigiram a queda do governo federal, ao lado de pautas específicas- ou cada grupo com sua forma de dizer “Fora Bolsonaro”. Chamou a atenção de muitas pessoas incautas a quantidade de bandeiras e símbolos comunistas nos protestos. Além de manifestações tímidas em defesa de Lula presidente, como uma solução para os problemas que o país está passando. O que, superficialmente, poderá parecer algo ruim. Mas o oportunismo eleitoreiro teve seu fator positivo, ao inibir o apoio do “centro”, tendo em vista que há apoiadores do foco nos parlamentos que expuseram faixas, cartazes, bandeiras e fizeram falas aos microfones, a exemplo do PCO ou do Coletivo Lula Presidente. Ao mesmo tempo, a oposição às medidas neoliberais também afasta dos atos os mesmos grupos que lideraram a cooptação das jornadas de 2013, resultando no atual governo miliciano de Bolsonaro.

Uma das novidades do 19J foi a mobilização ocorrida em Alvorada. Nessa cidade, a partir das 9:30 min, uma centena de pessoas fez uma marcha ocupando meia faixa da avenida Presidente Getúlio Vargas, desde a parada 44 (em frente à CORSAN), passando pelo Banco BANRISUL, finalizando diante da prefeitura. Participaram manifestantes ligados ao PT, PDT, PCdoB, PCB, PSOL, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada (SIMA), Grêmio Estudantil do IFRS Campus Alvorada, GEACB, associações de moradores, entre outras organizações, além de independentes. A escolha de usar apenas meia faixa foi para motivar uma opinião favorável inclusive das pessoas que passavam com seus veículos, ou dentro dos ônibus. E deu certo, motoristas diminuíram a velocidade para aplaudir e dizer palavras de apoio de dentro dos automóveis. Os trabalhadores dos comércios, caminhoneiros, carteiros, também demonstraram apoio e curiosidade, muitas pessoas tiraram fotos e gritaram “Fora Bolsonaro”. Um trabalhador em uma oficina colocou música funk que remetia ao impeachment do presidente, para prestigiar a caminhada popular que ocorria. Em Alvorada, o 19J pode ser considerado um fato histórico, que deverá sempre ser lembrado no futuro.

De tarde, muitos dos que estiveram no ato ocorrido em Alvorada, participaram da manifestação em Porto Alegre. Na capital gaúcha, o ponto de encontro foi nas proximidades da prefeitura. Iniciando a caminhada pouco depois das 15 horas. Cerca de 70 mil manifestantes fizeram uma caminhada longa, enfrentando a chuva, em um trajeto que incluiu a Avenida Mauá e finalizou no Arco Zumbi dos Palmares.

Em todos os atos ocorridos nesse dia, houve preocupação com isolamento, uso de máscaras e de álcool em gel. Por todo o país, ao lado de bandeiras de partidos de esquerda, foram vistas muitas bandeiras do Brasil. O que está correto, por que esse símbolo é de todos os brasileiros e quem defende o imperialismo estadunidense, não merece erguê-lo. Houve denúncias de conflitos isolados entre manifestantes, por divergências quanto a formas de luta. O que é inadmissível. Toda a forma de luta para vencer Bolsonaro e o bolsonarismo e em defesa da classe trabalhadora, deve ser respeitada.

Com essas reflexões, finalizo esse brevíssimo texto dizendo: Fora governo Bolsonaro, Mourão, Guedes! E levem junto os seus cúmplices!

COMENTÁRIOS ()