Quinta-Feira, 26 de Maio de 2022 |

Editorial

A demora foi longa... mas veio!

Por Redação em 25 de Março de 2022


Felizmente temos boas notícias essa semana. Novamente. Com a entrada do outono também chegaram as boas novas e Alvorada está cada vez mais próxima de ter um tomógrafo no seu Hospital. Obviamente que ainda existem trâmites para serem negociados e todos sabem a burocracia por traz das licitações, mas Alvorada está mais perto de ter esse equipamento entregue para a sua comunidade.

Investimentos como esses são necessários aqui no município. Somos muito carentes: o transporte público não funciona mais como outrora e a população precisa ter acesso aos melhores serviços. Principalmente quando se pensa na saúde pública e nos usuários do SUS – o Hospital de Alvorada só atende pelo SUS. E esse tomógrafo será de ajuda nos exames, mas também no acesso aos tratamentos.

Contudo, é preciso falar sobre outros fatores. Segundo o deputado Federal Geovani Cherini, dos 15 tomógrafos da grande Porto Alegre, somente três são para o SUS. O resto tudo está na iniciativa privada. O Hospital de Alvorada é um dos poucos que atende somente pelo SUS e, após longas décadas de sua inauguração, somente agora ele contará com essa estrutura para atender a sua comunidade.

É obvio que a premissa do “antes tarde do que nunca” precisa ser levada em consideração. Foram anos de luta até essa conquista, que ainda vai demorar mais alguns meses, mas deve estar concluído até o fim do ano. Enquanto isso, os alvoradense seguirão tendo de ir para a capital ou outras cidades atrás deste tipo de exame e atendimento mais especializado.

Sem falar que, agora que se tem o tomógrafo, está na hora de buscar mais. Os alvoradenses não podem se contentar somente com isso. O sonho do hospital regional e dos mais de 100 leitos nunca se tornou realidade. Isso em uma cidade com mais de 200 mil habitantes e que precisa de mais atenção dos poderes constituídos para mudar a sua realidade no futuro.

Alvorada é carente e todos sabem disso, mas é preciso mudar. Para isso, os alvoradenses não podem ficar satisfeitos com migalhas e sim ir atrás de mais recursos, projetos e investimentos. É assim que Alvorada vai crescer e se desenvolver. Às vezes, a indignação é necessária para que a mudança ocorra e o progresso chegue. Os avanços precisam ser celebrados, mas as reivindicações não podem parar.

COMENTÁRIOS ()