Quinta-Feira, 26 de Maio de 2022 |

Editorial

É preciso ter atenção com outras doenças

Por Redação em 18 de Março de 2022


A pandemia da Covid-19 assolou o mundo nos últimos anos. Nem parece que já fazem mais de dois anos desse caos instaurado, onde diversas pessoas perderam entes queridos. Felizmente, com a campanha de imunização, os casos parecem estar sendo controlados e pode-se dizer que o pior já passou. Muitos especialistas acreditam que essa doença veio para ficar, mas agora ela está controlada e se tornando a passos rápidos para uma endemia.

Com isso, os olhos dos especialistas em saúde precisam ser abertos para outras doenças sérias e que já existiam antes da Covid-19. Hoje o que está na pauta é o combate à dengue, uma doença que existe há alguns anos e que depende de cuidados da população e dos profissionais de saúde para serem combatidas. E as doenças relacionadas as causas cardiovasculares e pulmonares continuam muito mais avançadas em relação à covid-19 e foram deixadas de lado. Por isso é de suma importância esse trabalho em conjunto.

Em todo o Rio Grande do Sul – e porque não em outros estados – circulam notícias sobre a proliferação dos mosquitos e, consequentemente, dos casos de dengue. Existem surtos pelo interior do estado e, no caso de Alvorada, já existem casos confirmados. Sem falar que o município tem risco médio de contágio e já é considerado infestado segundo índices estaduais.

Nesse caso, é necessário que os especialistas busquem alternativas que surtam efeito na sociedade. Fazer visitas em horário comercial não parece surtir efeito. Muitos moradores têm medo de assaltos ou estão trabalhando. Casas vazias não podem aprender a cuidar. É preciso pensar em soluções diferentes para amenizar problemas que vivemos há bastante tempo.

Por mais que essas visitas não surtam o efeito necessário, as orientações apresentadas precisam ser seguidas. Os cuidados com a água parada, descarte irregular e terrenos baldios são dicas preciosas para se vencer essa doença. Por isso não se questiona o conteúdo da visita, mas sim a forma com que ela é feita e planejada, pois hoje ela não atende à demanda.

A dengue, assim como a Covid-19, são doenças que vieram para ficar. Infelizmente. Enquanto não se consegue erradica-las (assim como foi feito com outras doenças), é preciso conviver com elas. Contudo, existem maneiras de se precaver e não ser contaminado. Cada um fazendo a sua parte, várias doenças podem ser evitadas e com isso menos vidas serem prejudicadas.

COMENTÁRIOS ()