Segunda-Feira, 02 de Agosto de 2021 |

Editorial

Isso não pode acontecer

Por Redação em 11 de Junho de 2021


Nessa semana, o Jornal A Semana recebeu a denúncia de que uma moradora do bairro Cedro teve negado o seu atendimento devido a uma denúncia que ela fez no passado sobre o próprio posto de saúde. Isso foi matéria em fevereiro deste ano e pode ser encontrado no site e nos arquivos deste veículo. Contudo, não é sobre o passado que queremos falar, e sim sobre a seriedade destes fatos.

O relato de Adriana é que lhe foi negada a vacina da gripe e foi pedido que ela procurasse outro posto de saúde. A nota enviada pela Secretaria de Saúde (SMS) afirma que ela teve uma discussão com a vacinadora, que não se sentiu segura em aplicar a vacina. Não se sabe de fato o que ocorreu nos mínimos detalhes e são duas as versões da história que chegam na redação.

Tem uma terceira na verdade: o relato de outras pessoas que estavam no posto de saúde sobre o trabalho de um funcionário. Isso porque diversas pessoas procuraram a reportagem para reclamar do atendimento e do tratamento que o profissional de saúde dá para a população – algo que certamente a secretária Neusa não tem conhecimento, tendo em vista o quanto ela foca no atendimento humanizado.

Contudo, isso mostra uma situação muito tensa e complexa. O ato de negar um atendimento por si só parece muito grave. Ainda mais no caso de imunização. Pedir para que a moradora se locomova para outro bairro buscar o atendimento também não parece a solução mais justa – aumentaria gastos e perderia tempo porque não querem atende-la no seu bairro.

Tomara que a SMS faça apurações do ocorrido para que este caso que até então parece ser isolado não se torne comum nos postos de saúde do município. Se existem postos nos bairros, eles têm de atender a comunidade – ou, caso o contribuinte queira, ele também pode trocar de região? – independente do que ocorra e com um bom atendimento ao público que paga seus impostos em dia.

Cabe ressaltar que o caso foi parar do Ministério Público e na Brigada Militar. Isso porque Adriana registrou boletim de ocorrência nos dois locais. Tomara que isso signifique mais investigações para que o bom atendimento que a administração sempre defendeu não se perca nos postos de saúde, que são uma das áreas mais procuradas pela população que mais precisa.

COMENTÁRIOS ()