Tera-Feira, 19 de Outubro de 2021 |

Editorial

O alívio e os cuidados da cepa Delta

Por Redação em 13 de Agosto de 2021


Um caso que já vinha sendo acompanhado alguns dias teve seu resultado confirmado: Alvorada teve um caso da cepa Delta de Covid-19. Esse é o primeiro paciente confirmado na cidade, mas felizmente ela já está curada – ou melhor, recuperada – e não transmitiu o vírus para seus familiares. Sim, eles contraíram a doença, mas não foi a variante Delta que os afligiu.

A confirmação de que não houve transmissão dentro da cidade deve ser motivo de alívio para muitos. Infelizmente as notícias que chegam afirmam que a Delta é uma variante muito mais forte e com mais índices de mortalidade ou hospitalização. Termos a garantia de que essa cepa não foi retransmitida dentro do município deve sim ser motivo de alívio para todos que tem medo de contrair o vírus.

Contudo a confirmação desse caso deve servir de alerta. Existe um fato: a Delta está no município. Esperamos que não se registrem novos casos e que não tenhamos que enfrentar essa cepa, afinal todos estão cansados desse combate à pandemia. É muito difícil para as pessoas ficarem longe dos seus entes queridos e se exporem diariamente a uma pandemia que já matou mais de 700 alvoradenses.

Obviamente que a ideia não é se instaurar um pânico na cidade. Estamos apresentando reduções sensíveis dos índices de transmissão e a campanha de imunização vem andando em um bom ritmo. A tendência é que, até o fim do mês, todos estejam com pelo menos a primeira dose. Isso é uma vitória e não podemos nos esquecer disso. Felizmente temos tudo para abandonar esta pandemia.

O problema é que ela ainda não acabou e existe um receio de muitas pessoas. O próprio Acampamento Farroupilha, que está confirmado, aguarda o cenário para anunciar o seu local. A ideia é retomar o evento com segurança e isso é o mais admirável. Claro que é importante retomar uma normalidade. Essa é uma medida válida, mas os cuidados ainda são necessários e precisam ser respeitados.

O que mais esperamos é que tudo isso passe e que possamos rever amigos e conviver no “novo normal”. O cansaço mental e físico é grande, mas falta pouco. Por isso, é de suma importância os cuidados não para se criar um pânico, mas sim para se garantir a saúde de todos. Somente assim será possível vencer esta página da história do nosso município.

COMENTÁRIOS ()