Sbado, 25 de Setembro de 2021 |

Editorial

O esporte como projeto social

Por Redação em 20 de Agosto de 2021


Momentos como o das Olimpíadas cria um ambiente diferente em muitas pessoas. A ideia de acompanhar outros esportes que não só futebol – que é o grande esporte nacional – cresce. Contudo, o grande problema é que, poucos meses depois, não se tem mais acesso a essas outras modalidades esportivas. Pelo menos não com a mesma quantidade que o futebol brasileiro e mundial.

Na última semana foi pauta aqui do Jornal A Semana o remo. Isso através do medalhista de Pan-Americano Alef Fontoura. Dessa vez trazemos aqui a pauta do Tênis na Vila – projeto capitaneado pelo Instituto Ecovox e que visa democratizar o acesso ao tênis em uma comunidade carente como bairro Salomé. Dois esportes diferentes completamente diferentes na verdade, mas que podem chegar no mesmo lugar.

E estamos escrevendo da modalidade desportiva, mas sim do esporte como um projeto social dentro de Alvorada. Todos sabem das dificuldades que temos. Somos uma cidade carente e existem muitos desempregados. essa fama precisa mudar e o esporte pode ser uma ferramenta para isso. Temos exemplos em diversas modalidades esportivas de atletas alvoradenses que vivem disso.

E temos vários exemplos de crianças que saíram das ruas aonde corriam riscos de entrar para o mundo da criminalidade e encontraram no esporte uma salvação. Não necessariamente elas vivem de esportes, mas o esporte foi o responsável por tirá-las de um ambiente ruim. Esse é o impacto que o esporte pode ter na vida das pessoas – principalmente dos jovens.

Contudo é preciso pensar no esporte como política pública. É preciso cobrar dos nossos governantes que nomes como de Alef Fontoura e Lapelinha, entre outros atletas, sejam valorizados. Eles precisam ser os embaixadores de suas modalidades dentro do município e novos projetos esportivos precisam surgir na cidade – infelizmente não é isso que acontece hoje.

Hoje o esporte no município é valorizado dentro do futsal e dentro do futebol. Não se pensa em outras modalidades e nem no esporte como projeto social. Inúmeras outras tentativas foram tomadas, mas nasceram só para colocar o governo na vitrine. Infelizmente hoje temos torneios dessas duas modalidades e só. Mesmo com todo o talento disponível e com a importância de um projeto social como citado aqui (Tênis na Vila) é necessário mais. Somente assim – ou também assim – poderemos mudar a realidade de Alvorada.

COMENTÁRIOS ()