Sexta-Feira, 01 de Julho de 2022 |

Editorial

O frio rigoroso se aproxima

Por Redação em 27 de Maio de 2022


O inverno está começando a dar seus sinais. Fortes chuvas e o frio rigoroso chegam e nota-se nos termômetros e nas casas dos alvoradenses. Quem pode, se recolhe dentro de casa, acende o fogão a lenha e posta nas redes sociais que vai fazer um sopão para se esquentar. Os tradicionais clichês que se aproximam – junto aos que competem entre qual clima é melhor: verão ou inverno.

Contudo, existem outras ações que estamos acostumados e são clichês, mas que ainda não tomaram as ruas e as redes sociais: as campanhas de agasalho. No passado, a Loja Social desenvolvia diversas atividades, os ônibus e as igrejas divulgavam em massa suas ações e todos sabiam aonde poderiam levar suas roupas. Hoje em dia, mesmo com o inverno se aproximando, está quase tudo parado.

Não se vê campanhas sendo desenvolvidas na cidade. Isso é no mínimo curioso, afinal muitos perderam suas fontes de renda com a pandemia e essa ajuda seria muito bem-vinda pelos que mais precisam. Sem falar que muitas pessoas querem ajudar, mas não sabem qual o melhor local para levar aquela roupa ou alimento que poderia ser benéfico para uma parcela significativa da população.

Coletivos que surgiram durante a pandemia e tomavam as redes sociais pedindo alimentos para fazer marmitas também não são mais tão frequentes. Obviamente que existe a dificuldade financeira que assola o país e não era a responsabilidade desses coletivos alimentar a população, mas com o frio, muitos precisariam dessa atenção nos próximos meses.

Em tempo: a Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (SMTASC) vem fazendo o seu papel junto aos moradores em situação de vulnerabilidade social. Existem equipes circulando durante a noite pela cidade, chamando esses alvoradenses para se abrigar nos albergues de Alvorada. Uma alternativa para quem precisa de um banho, alimento e cobertas para passar a noite.

Obviamente que muita coisa é feita, mas é preciso divulgar mais. A população precisa saber quem está fazendo o que para poder ajudar aos que mais necessitam nesses momentos de carência e de crise. A pandemia ainda causa impactos econômicos e sociais na cidade e buscar alternativas para solucionar – ou ao menos amenizar – é sempre o melhor caminho.

COMENTÁRIOS ()