Sbado, 22 de Janeiro de 2022 |

Opinião

(DES)EDUCAÇÃO

Por Redação em 27 de Março de 2015


Todas, eu disse TODAS, as escolas da rede municipal de Alvorada estão abandonadas pela mantenedora, leia-se SMED. Escolas sucateadas com infraestrutura precária, sem segurança, quadro insuficiente, magistério e servidores mal remunerados.
As equipes diretivas se contorcionando para envolver suas comunidades escolares, fazendo atividades e mutirões para ajudarem as escolas, como na época do Governo Appolo, que antecedeu a criação do Fundef, que posteriormente virou Fundeb. Aliás, alguém sabe onde está indo o recurso do Fundo?
O desmando protagonizado pelo Governo Serginho é tão grande, que na manhã do dia 26 de março, a Secretária Municipal de Educação, Nair Ribeiro, não permitiu que representantes do SIMA participassem de uma reunião com a direção da Escola Emília de Oliveira, que reivindicavam segurança e melhoria nas condições de trabalho.
Lamentavelmente, a Secretária de Educação, chancelada pelo Prefeito Serginho, feriu o direito constitucional dos servidores, que pediram a presença do sindicato na reunião, se opondo, de forma autoritária, truculenta e fascista, à livre organização sindical.
A Escola Emília de Oliveira procurou o SIMA para tentar intermediar na resolução de questões ignoradas pela SMED, que, apesar de inúmeros documentos e solicitações remetidos oficialmente pela Escola, não encaminhou solução para os problemas relatados.
E as demais direções, até quando serão permissivas com a falta de boa vontade da Secretária de Educação? Isso é conivência ou medo? Estamos falando de professores concursados, democraticamente eleitos por suas comunidades escolares, que tem o direito e o dever de adotar as medidas necessárias para garantir o compromisso com a educação pública de qualidade.
Dudu Correa - Ativista Político

COMENTÁRIOS ()