Sbado, 22 de Janeiro de 2022 |

Opinião

A imoralidade em forma de aposentadoria

Por Redação em 28 de Novembro de 2014


A aprovação da aposentadoria especial para os deputados e deputadas estaduais foi um grande retrocesso na política gaúcha, um verdadeiro tapa na cara da democracia, mas nós não podemos virar a outra face, temos que reagir. A política não pode ser uma carreira, mas uma opção de vida, os mandatos são delegações do povo que podem, ou não, serem renovadas através do voto, mas somente através do voto.
Num verdadeiro deboche, 29 deputados estaduais votaram a favor da aposentadoria especial, sendo que 6 deles não se reelegeram ou não concorreram e já devem encaminhar o benefício, ou seja, votaram em favor próprio e imediato, deixaram claro que legislam pensando apenas em si mesmo, contrariando inclusive discursos de campanha, de que o Estado precisa de austeridade fiscal e enxugamento.
Cabe lembrar que os deputados que aprovaram a aposentadoria especial para eles próprios, em maioria, são os mesmos que já se manifestaram contra o reajuste de 16% do piso regional, ou seja, são contra o aumento dos salários dos trabalhadores, mas são favoráveis aos privilégios para eles mesmo.
Não resta dúvida da imoralidade desse projeto, a Assembleia Gaúcha passa a ser muito mais uma oportunidade de aposentadoria especial, com um regime de exceção de aposentadoria integral, do que um espaço de representação política e de grandes debates. Com a aprovação dessa imoralidade em forma de aposentadoria, o povo gaúcho vai continuar pagando vultosos salários aos parlamentares que tiverem os mandatos revogados nas urnas, perpetuando salários a quem o povo não quer mais como seu representante.
Assim vai se desfazendo a lenda de que o nosso Estado é mais politizado que os demais, ora, se fosse, não teríamos uma composição como esta e a próxima, teríamos parlamentares mais representativos, eleitores mais seletivos, e um parlamento menos mesquinho, mas fundamentalmente, com o povo nas ruas exigindo a derrubada desse projeto.
Mas, por falar nisso, porque o povo não foi às ruas exigir a derrubada desse projeto? Por um motivo simples, a mídia se calou e não estimulou nenhum tipo de manifestação, até porque precisa silenciar para continuar blindando o futuro governo e sua base, as manifestações só reforçariam a posição do PT, que foi o único partido a votar e tirar posição contrária a aposentadoria imoral dos deputados.
Infelizmente o nosso Estado tem tido uma “indignação seletiva”, patrocinada pela mídia que escolhe a quem quer criticar, que apoiou e fez coro as manifestações de Junho de 2013 para desgastar os nossos governos, mas que é incapaz de encampar qualquer luta que realmente defenda os interesses do povo gaúcho.

Juliano Marinho
Professor e vereador pelo PT

COMENTÁRIOS ()