Sbado, 29 de Janeiro de 2022 |

Opinião

Bomba relógio

Por Redação em 31 de Janeiro de 2014


Passado um ano onde muito pouco ou nada mudou, e a cidade ficou abandonada, mergulhada no caos, com focos de lixo, praças sujas, aparelhos públicos abandonados e ruas escuras e esburacadas, sem mencionar a ausência total de políticas públicas para o desenvolvimento humano, social e econômico de Alvorada, o Governo Serginho parece que vai fazer sua primeira reforma, e como era de se esperar, equivocada.
Não contente em provocar o sentimento saudosista de boa parte da população em relação ao governo anterior, e colocar a população contra si e contra sua fiadora política, Deputada Estadual Stela Farias, que graças ao desempenho pífio do prefeito, vai ter que trabalhar dobrado para fazer uma votação razoável no seu berço político, Serginho vai abrir espaço no seu governo para o, pasmem, PDT.
O PDT de Viera da Cunha e Lazier Martins, que abandonou e passou a combater sistematicamente o Governo Tarso, que inclusive encabeçou com PSD, PSC, DEM, PR e PPS, o Manifesto ao Rio Grande, no qual formalizam a decisão de trabalharem juntos “num projeto que resgate a governabilidade, a confiança, a autoestima e a esperança do povo gaúcho em um futuro melhor pra todos”. O PDT que negocia palanque para o tucano Aécio Neves no Rio Grande do Sul.
Se é verdade que é preciso a se aliar há um dos partidos que deram sustentação ao Governo Brum,o que não estou convicto, o Prefeito tem e mãos uma bomba relógio prestes a explodir. Além do PDT, o PMDB também terá candidato próprio ao Piratini e dará palanque ao Aécio.
Aí sobra o PTB. Não que eu ache os trabalhistas os melhores aliados do mundo, pelo contrário, mas se precisa trocar espaço no governo para ter maioria na Câmara, pelo menos seja um partido que vai apoiar a reeleição de Tarso e Dilma, para, pelo menos eleitoralmente, valer a pena. Até porque se Tarso não for reeleito, o Governo Sérgio perde, e muito.
O problema é que Vereador petebista Gerson Luis foi recentemente condenado por improbidade administrativa, e não seria coerente, por razões óbvias, estreitar laços com os ícones do Governo Brum.

Eduardo Correa – Ativista Político

COMENTÁRIOS ()