Sbado, 22 de Janeiro de 2022 |

Opinião

Desmandos de quem manda

Por Redação em 16 de Janeiro de 2015


Ao apagar das luzes de 2014, em meio a um feriadão, mais precisamente numa sexta-feira espremida entre o feriado de Natal e o sábado, a Câmara Municipal de Alvorada aprovou o Projeto de Lei 106/2014, de autoria do Poder Executivo Municipal, reajustando os valores do Fator de Localização dos bens imóveis de Alvorada que, na prática, elevou, em média, em 100% o valor pago pelo IPTU na cidade de Alvorada.
A ação foi tão sorrateira que a Prefeitura Municipal de Alvorada não publicou uma única linha sobre o fato em seu site ou sua página do Facebook oficiais. Não demorou muito para que a notícia se espalhasse pela cidade e uma onda de críticas ao Prefeito Serginho e ao seu governo catastrófico começasse a inundar Alvorada gerando repercussão nas redes sociais e na mídia local.
Desesperados, os incompetentes que compõem a desastrosa Coordenadoria de Comunicação Social do Governo Serginho, apelaram, sem nenhum sucesso, para todos os tipos de explicações tentando convencer, inutilmente, o cidadão alvoradense de que o aumento arbitrário de 100% no valor do IPTU era bom para o munícipe e para o município. Acontece que, ao longo dos dois primeiros anos do Governo Serginho, o que vimos foi uma festival de ruas esburacadas, lixo acumulado e lâmpadas queimadas; um abandono que não justificava nem o valor de IPTU que já vinha sendo pago nos últimos anos.
O Prefeito Serginho, diante aos reflexos negativos da medida, como todo bom covarde, saiu de férias, fugindo das explicações e deixando, a exemplo do que fez durante a greve geral dos servidores e servidoras, a bomba para explodir nas mãos do secretariado. Uma vergonha!
O que o Prefeito não contava, era com a astúcia do Vice-Prefeito, Arlindo Slayfer, que fez Serginho provar do próprio veneno: Arlindo aproveitou a fuga, digo, o afastamento do titular, e, como Prefeito em Exercício, enviou à Câmara Projeto de Lei revogando o reajuste no valor do IPTU. No mesmo ato que instaurou (mais) uma crise política no governo, Slayfer exonerou 4 secretários municipais e 1 diretor geral, todos de extrema confiança de Serginho. Não levou uma hora até que Serginho reaparecesse, afirmando que já havia retornado das férias, revendo e anulando todas as ações do Vice.
Quando todas as chances de anular o reajuste hediondo pareciam estar esgotadas, a Justiça, sempre a Justiça, fez justiça: foi deferida liminar favorável à suspensão da lei que atualizou o valor venal dos imóveis que resultou no reajuste da alíquota do IPTU de Alvorada. Provavelmente o Prefeito Serginho, que afirmou não tolerar desmandos, deve tentar derrubar a liminar, desgastando o que ainda lhe resta de imagem junto ao povo alvoradense.
Em pensar que tudo isso poderia ter sido evitado se o Prefeito tivesse agido com ética e transparência chamando a sociedade, ou pelo menos parte dela, através do Conselho da Cidade que ele mesmo criou para debater, explicar e conscientizar sobre essa medida impopular que ele e base comprada, digo, aliada, na Câmara, julgam ser importantes para Alvorada e os alvoradenses.
Mas tudo isso é fruto de um governo composto de quadros que são incapazes de fazer uma reflexão política precisa a cerca dos fatos, começando pela imaturidade política do próprio Prefeito que, numa disputa interna do seu partido, assinou carta de apoio a uma candidatura e apoiou outra.

Dudu Correa

COMENTÁRIOS ()