Segunda-Feira, 18 de Outubro de 2021 |

SIMA

Appolo segue Bolsonaro e quer sucatear o serviço público em Alvorada

Por Redação em 01 de Outubro de 2021

(Foto: Divulgação)


A partir do falso argumento de enxugar a máquina administrativa durante a pandemia, o Governo Appolo assumiu a ideia de Bolsonaro de enfraquecer o serviço público para favorecer a iniciativa privada, que aguarda a hora de abocanhar partes das estruturas de governo. São ataques inconstitucionais que atropelam a população, que deve unir forças aos servidores para proteger o direito da coletividade. E para piorar, os vereadores, que deveriam estar do lado dos servidores e da população alvoradense, fazem média e votam contra os servidores inúmeras vezes.

Transcorridos quatro anos do Governo Appolo e já no começo do segundo mandato, os Municipários colecionam perdas de direitos, que só não são maiores porque o SIMA luta bravamente contra os desmandos da prefeitura.

Veja os desmandos praticados contra os Municipários por Appolo:

REVOGAÇÃO DA REPOSIÇÃO INFLACIONÁRIA DE 4,52% concedida aos servidores no começo do ano, seis meses após a publicação do decreto que concedeu a reposição inflacionária. Na soma de perdas de 2021, os servidores amargam desvalorização de 10,52%, sem levar em conta a corrosão provocada pelos preços de produtos e serviços.

FIM DA TRIMESTRALIDADE, que permitia a reposição das perdas salarias a cada três meses.

PAGAMENTO DE 45% DO TIQUETE ALIMENTAÇÃO (R$ 250), enquanto cargos de confiança e secretários municipais pagam somente 20% (R$ 162)

FALTA DE PAGAMENTO DA BOLSA DO PSF (Programa Saúde da Família) das Agentes Comunitárias de Saúde (ACS) causada pela perseguição às trabalhadoras que participaram da mobilização de 18 de agosto, quando diretores do SIMA e Agentes de Saúde cobraram o pagamento de benefícios atrasados, aproveitando para expressar a rejeição à Reforma Administrativa (PEC 32), em ato realizado em frente à Secretaria da Saúde.

Ao invés de conversar e encaminhar a solução dos problemas, a prefeitura preferiu cortar o ponto dos ativistas sem justificativa, já que a prefeitura não questionou a legalidade da greve. Essa falta retirou do salário das ACS R$ 300.

Enquanto pune os ACS, a prefeitura não dá conta de problemas graves na estrutura das unidades, como infiltrações e fiação exposta. As irregularidades foram registradas em fotografia e serão encaminhadas para que sejam tomadas providências imediatas.

AUMENTO DO RECOLHIMENTO DA PREVIDÊNCIA PARA 14%, elevando 3% a cobrança e reduzindo os salários dos servidores na mesma proporção. Sem falar da Retirada da Licença Prêmio e o congelamento da Gratificação por Tempo de Serviço (GTS), bloqueada por decreto do governo federal, que proíbe reajustes salariais e a concessão de vantagens como a GTS, que confere 3% sobre o salário anualmente.

VITÓRIA NA JUSTIÇA CONTRA O FUNSEMA no direito à uma aposentadoria digna, pois pagamos a média geral sobre o salário base, Gratificação por Tempo de Serviço (GTS), insalubridade, risco de vida e gratificações não fossem limitadas somente ao salário-básico e GTS, conforme o Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Alvorada vinha fazendo. Essa foi uma grande conquista da gestão do SIMA, através da sua assessoria jurídica, que, por meio de liminar, conseguiu a decisão favorecendo centenas de trabalhadores.

TUDO ISSO DIANTE DE UM CENÁRIO DE INFLAÇÃO DESCONTROLADA, especialmente dos alimentos. A culpa é dos governos, que cortam os gastos sociais em nome do ajuste fiscal, para que sobre mais dinheiro para pagamento de juros e amortizações da dívida pública, estimada em torno de R$ 7 trilhões, valor que se aproxima de 100% do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todas as riquezas produzidas pelo Brasil.

O TETO DE GASTOS, previsto para durar de 2016 a 2036, vem sendo a principal causa da inflação e está matando o consumidor e ameaça o produtor. Os cortes de gastos elevam em vez de diminuir a inflação, visto que a prioridade não está no social, mas a concentração de renda, que eleva a desigualdade social e a fuga de capitais.

PARA INFORMAÇÕES OU DÚVIDAS, ENTRE EM CONTATO COM O SIMA (51) 3483 3010 | e-mail [email protected]

COMENTÁRIOS ()