Sexta-Feira, 23 de Julho de 2021 |

SIMA

Desmonte da Assistência Social causa prejuízos aos servidores e à população

Por Redação em 09 de Julho de 2021


A Assistência Social é um setor fundamental na organização da nossa sociedade e tornou-se ainda mais importante com o surgimento da Pandemia de Covid-19. Apesar disto, Alvorada tem uma relação conturbada com a pasta que deveria servir para promover a cidadania e combater as desigualdades no município. Razão pela qual, é motivo de diversas disputas, inclusive jurídicas, para que os princípios norteadores da Secretaria Municipal do Trabalho, da Assistência Social e da Cidadania (SMTASC) sejam seguidos.

A última consequência da gestão que vem sendo feita nos serviços de assistência social do município foi o surto de infecção por Covid-19 no abrigo Novo Tempo. Durante a tarde da terça-feira, dia 06 de julho, trabalhadores e internos do Abrigo Municipal Novo Tempo foram submetidos a testes para detecção de Covid-19.

A medida ocorreu após pressão do Sindicato dos Municipários de Alvorada que na segunda-feira questionou a Administração Municipal sobre a aplicação dos protocolos sanitários, após a informação de que pessoas que trabalham no local apresentaram sintomas gripais. A informação já era de conhecimento dos gestores desde sexta-feira, dia 02 de julho, mas somente após quatro dias foram tomadas atitudes para controle do que já se pode chamar de surto. Até o momento nove (09) casos foram confirmados, entre trabalhadores e internos.

Atualmente, no abrigo são vinte e um o número de trabalhadores ao todo, incluindo equipe técnica, educadores e terceirizados. E apenas três crianças estão alojadas no Abrigo. Os diretores do SIMA acompanham de perto a situação que reafirma a necessidade de seguir e respeitar os protocolos de segurança sanitária durante o período em que vivemos. No momento, os trabalhadores com casos de Covid-19 confirmados estão afastados e os internos do Abrigo realizam isolamento em quartos separados. O abrigo segue com funcionamento normal, mesmo com os números de casos aumentando.

O SIMA questionou sobre a realização de higienização do local, mas não obteve informações. Segundo os trabalhadores do Abrigo ainda não está agendada a desinfectação, como recomendam os protocolos de combate ao Covid-19. O número de infectados pode sofrer alteração nos próximos dias de acordo com a divulgação dos resultados dos testes. Alguns trabalhadores, inclusive, pagaram testes em clínicas e farmácias privadas, dada a demora na realização dos testes pelo poder público municipal. Além dos casos confirmados no Abrigo Novo Tempo, há outros três casos confirmados de Covid-19 no CRAS Nova Americana preocupa os servidores.

A falta de cuidados com a saúde dos servidores e da população reflete um outro problema já identificado na SMTASC, o ASSÉDIO MORAL. No início do ano, os Diretores do SIMA manifestaram em reunião junto a responsável pela pasta, a Secretária Municipal de Assistência Social Jucélia Wunder, que a prática de intimidação, agressão psicológica e ameaças eram constantemente denunciadas pelos servidores da Secretaria. A reunião ocorreu no dia 22 de janeiro, e na ocasião foram prometidas medidas para combater o assédio moral e para valorização dos trabalhadores. No entanto, o que se vê é o contrário. Os problemas de assédio aumentaram e as estruturas precárias dos abrigos e locais de trabalho continuam, no abrigo Novo Tempo há apenas um local para tomar banho, por exemplo, isto quando não há falta de sabão.

O Sindicado dos Servidores já denunciou a precariedade da estrutura dos abrigos ao Ministério Público do Rio Grande do Sul e orientou os servidores vítimas de assédio moral a realizarem boletim de ocorrência. Estes são passos legais necessários, mas fica provado que para o bem da Cidade de Alvorada é preciso uma intervenção de CIDADANIA na SMTASC. Estamos vendo uma política de assistência construída ao longo de anos ser desmantelada, e quem perde somos todos nós.

COMENTÁRIOS ()