Quinta-Feira, 19 de Maio de 2022 |

SIMA

Em campanha histórica, SIMA e Servidores ampliam conquistas e consagram valor da negociação coletiva

Por Redação em 24 de Dezembro de 2021


Uma campanha salarial histórica mostrou a todos o quanto a coletividade ganha quando os direitos sociais são respeitados. Depois de nove anos sem receber aumento, a maioria dos Servidores terá os salários reajustados pelo INPC+2%, ou cerca de 11%, que são projetados para a medição da variação desse índice entre os meses de janeiro e dezembro de 2021, que será conhecida apenas em janeiro de 2022. Mesmo com a suspensão dos 4.52% nos salários, a administração anunciou que fará a recuperação desse índice ao longo do mandato.

Beneficiados pela Portaria Interministerial MEC/ME 8, de 24/9/2021, o piso dos Professores será elevado em 31,3%, a partir de janeiro de 2022.

O SIMA ainda propõe que a Secretaria Municipal da Educação (Smed) reverta as sobras relativas aos 70% do Fundeb aos profissionais da Educação, conforme manda a lei.

O Vale Alimentação é um dos símbolos da evolução nas conquistas dos Municipários de Alvorada: em 2012, cada tíquete valia R$ 2,50, para cada 20 horas. Hoje, o valor unitário é de R$ 20. Na negociação de 17/12, a Comissão de Negociação do SIMA defendeu e foi atendida pela administração, elevando o valor unitário para R$ 29.

A campanha salarial 2021/2022 resultou em acréscimo de R$ 225 no valor bruto, passando de R$ 500 para R$ R$ 725, e mantendo o congelamento dos valores do desconto.

VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES É BOA PARA TODOS

Com a valorização dos Servidores, o comércio e os serviços da cidade agradecem, pois grande parte do reajuste do funcionalismo público será consumido em Alvorada.

Até a prefeitura, que custou a entender a importância de valorizar os Servidores, sairá ganhando, pois os funcionários gastarão em Alvorada a maior parte do que ganham, que será revertida em impostos para a Administração Municipal. Valorizar o Servidor é valorizar a cidade.

Rodinei Rosseto, presidente do SIMA, destaca o valor da representação sindical e da negociação coletiva, que deve ser respeitada, como manda a Constituição brasileira e as normas internacionais.

VITÓRIA DO DIÁLOGO E DA NEGOCIAÇÃO

Para Rosseto, que também é diretor da União Geral dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul (UGT-RS) e diretor de Formação da Federação de Sindicatos de Servidores Municipais do Rio Grande do Sul (Fesismers), acredita que os avanços só aconteceram porque a representação sindical e a Comissão de Negociação colocaram o diálogo em primeiro lugar e conseguiram impor respeito na mesa de negociação.

“Pavimentamos um caminho em que o diálogo vai nos conduzir. Agora, temos um novo ponto de partida para as próximas negociações”, afirmou o líder dos Municipários de Alvorada.

COMENTÁRIOS ()